Paraná Extra

A pátria dos bancos

Claudio Henrique de Castro

Uma família de banqueiros no Brasil, segundo uma visita guiada em Salvador, Bahia, foi uma das primeiras donatárias de sesmarias no Brasil.

Em nosso país o único negócio que alcança lucros extraordinários é o sistema financeiro, pois não tem a correta regulação.

Os setores; industrial, de serviços, do comércio e até a ciência estão a reboque das empresas estrangeiras. Contudo, os bancos estão sempre muito bem, e quando quebram são socorridos com recursos públicos, pela desculpa que o sistema pode entram em colapso.

Qual a explicação para tudo isto? A política monetária do Banco Central e as famosas reuniões do Copom, um clubinho que acerta os elevados juros no Brasil.

Vamos aos números. O rotativo de juros dos cartões do crédito no Brasil é de 481,5% ao ano.

Na Argentina é de 47,40% ao ano, no Chile de 21,59%, no México de 25,4%, em Portugal de 16,1%, nos Estado Unidos de 24,99%. (fonte: Economia ig).

Assim, o governo viabiliza uma usura institucionalizada que está numa realidade completamente desfigurada e abusiva em comparação com as economias civilizadas.

Por isto, a utilização do cartão de crédito deve ser única e exclusivamente para o pagamento no mês do vencimento, sem deixar saldo negativo para os meses seguintes.

Em caso de dívida volumosa o consumidor deve procurar um advogado de sua confiança para avaliar qual o tipo de negociação que pode realizar.

Esta é razão pela qual se oferecerem negociações imperdíveis para os consumires quitarem suas dívidas, elas tornam-se impagáveis nesta realidade.

Deixe uma resposta