Paraná Extra

Acusado de comprar votos, vereador recebe “censura pública”

O Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara Municipal de Curitiba decidiu punir o vereador Beto Moraes (PSD) com uma “censura pública”, acusado de compra de votos por distribuição de prêmios em período eleitoral. O órgão aprovou relatório do vereador  Toninho da Farmácia (DEM), que absolveu o parlamentar de outras acusações no processo.

A denúncia foi apresentada pelo Sindicato dos Servidores do Município de Curitiba (SISMUC) e pelo Sindicato dos Servidores do Magistério Municipal de Curitiba (SISMMAC) em setembro. Segundo as entidades, ela reúne fotos de mais de 40 situações em que Beto Moraes teria usado o cargo e os assessores pagos com dinheiro público para autopromoção. As fotos comprovariam que o vereador e seus assessores distribuíam cestas básicas, muletas, cadeiras de roda, bicicletas e outros brindes com a identificação do nome, foto pessoal e até a logomarca do vereador.

Deixe uma resposta