Paraná Extra

Após início de recuperação, vendas voltam a cair no Paraná

Após um período de recuperação, o faturamento do varejo paranaense voltou a cair em novembro. Segundo a Pesquisa Conjuntural da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), as vendas do comércio reduziram 4,55% em novembro na comparação com outubro, voltando a apresentar piora depois de seis meses de alta.

Essa redução na variação mensal se deve ao fato de que outubro superou as expectativas, com crescimento de 9,81% ante setembro, por conta, principalmente, do Dia das Crianças. Já em novembro, a Black Friday não teve o desempenho esperado e o mês teve menos dias úteis para o funcionamento das lojas. Além disso, houve a redução do auxílio emergencial e a alta no preço dos alimentos por causa do aumento da inflação. De acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), a inflação de produtos alimentícios para consumo doméstico subiu 3,3% e foi a maior para um mês de novembro desde 2002 (+6,7%).

Por outro lado, alguns setores se destacaram em novembro na comparação com outubro: óticas, cine-foto-som (20,63%), lojas de departamento (13,82%) e vestuários e tecidos (5,24%), setores que vinham demorando a reagir às mudanças de hábitos dos consumidores, que estão focando suas compras em produtos de primeira necessidade, tais como alimentos e medicamentos.

Na comparação com novembro de 2019, o varejo teve queda de 2,01%, especialmente em setores como livrarias e papelarias (-36,37%), vestuário e tecidos (-25,05%), calçados (-19,80%) e lojas de departamentos (-10,94%).

No acumulado do ano, o varejo soma redução de 5,32% nos meses de janeiro a novembro, sendo que os ramos mais afetados pela pandemia tem sido vestuário e tecidos, com prejuízo acumulado de 36,09%, e calçados, com baixa de 34,57% no período.

Análise regional

Na variação mensal, a única região a apresentar crescimento foi Maringá, com alta de 7,02%, fomentada pelas lojas de materiais óticos, cine-foto-som (31,87%), materiais de construção (18,69%), vestuário e tecidos (16,39%) e lojas de departamentos (15,74%).

As demais regiões tiveram queda no varejo: Curitiba e Região Metropolitana (-5,70%), Londrina (-5,98%), Oeste (-4,39%), Ponta Grossa (-3,72%) e Sudoeste (-2,38%).

No entanto, no acumulado do ano, o comércio de Maringá apresenta as maiores perdas, com retração de 15,43%. O panorama nas outras regiões também é negativo: Curitiba e RM, com baixa de 3,98%; Londrina com redução de 4,46%; Oeste teve queda de 5,76%; Ponta Grossa, de -1,58%, e no Sudoeste as vendas caíram 5,30% de janeiro a novembro.

Deixe uma resposta