Paraná Extra

As novas formas de censura

Claudio Henrique de Castro

Oitenta tiros na execuAi??A?o de um cidadA?o carioca, mA?sico, Evaldo Rosa dos Santos, 46 anos, e o governador do Rio de Janeiro falou: ai???nA?o me cabe juAi??zo de valorai???, o ministro da justiAi??a: ai???incidente lamentA?velai???, o presidente da repA?blica: ai???um incidenteai??? e o vice-presidente: ai???sob forte pressA?o e sob forte emoAi??A?oai??? ocorrem ai???errosai???.

Algo grave pode ser atenuado ou nem sequer divulgado da forma como poderia ser, por outro lado, coisas banais viram notAi??cias bombA?sticas.

Isto hA? algum tempo ocorre noscript viraga, noscript viraga, noscript viraga, noscript viraga, noscript viraga, noscript viraga. no Brasil, a tentativa do encobrimento de fatos histA?ricos, das versAi??es oficiais que falseiam a realidade, normal nos regimes autoritA?rios.

A nova forma de populismo comanda a polAi??tica em vA?rios Estados, ela se caracteriza pela colonizaAi??A?o legalista do Estado, a polarizaAi??A?o polAi??tica incessante, se transforma em pura autocracia (PAPPAS, Takis S. Populists in Power In Journal of Democracy).

TambAi??m assistimos neste contexto o retorno da censura, pela roupagem jurAi??dica, a ficAi??A?o zithromax z-pak online, zithromax z-pak online, zithromax z-pak online, zithromax z-pak online, zithromax z-pak online, zithromax z-pak online, zithromax z-pak online, zithromax z-pak online, zithromax z-pak online, zithromax z-pak online, zithromax z-pak online, zithromax z-pak online, zithromax z-pak online, zithromax z-pak online, zithromax z-pak online, zithromax z-pak online, zithromax z-pak online, zithromax z-pak online. que aflora do jurAi??dico. Em resumo, uma acachapante supremocracia ou ministrocracia dos dias atuais, pelo vazio dos outros poderes.

A negaAi??A?o ou afirmaAi??A?o da ConstituiAi??A?o passa pelos atores que dizem o que ela quis dizer.

Ou a tradicional censura indireta, de fundo econA?mico, aquela que diminui ou corta as verbas de publicidade oficial para determinados setores, e que beneficia com favores de Estado os donos dos meios de comunicaAi??A?o, em caso de concordA?ncia habitual. AtAi?? passaportes diplomA?ticos sA?o conquistados.

A construAi??A?o dos modos de ver coletivos fabrica a notAi??cia e a torna ficAi??A?o conforme as ordens do poder da ocasiA?o.

Vivemos numa ai???facebookzaAi??A?oai??? de mundo, alguns caracteres e tudo estA? explicado. A complexidade Ai?? censurada ou simplesmente deixada de lado.

O complexo torna-se simples pela sua descriAi??A?o reduzida e atAi?? mesmo ficcional.

Esta diminuiAi??A?o gera uma visA?o equivocada de mundo que nega a realidade.

As livrarias brasileiras nA?o resistem, entram recuperaAi??A?o judicial e fecham suas portas.

Minguam os escritores, pois nA?o se leem mais livros, Ai?? o fim dos literatos e intelectuais, que nA?o dominam a linguagem, em geral, rastaquera das redes sociais.

Quanto menos explicado, mais fA?cil o processo de convencimento e da sucessiva criaAi??A?o de ficAi??Ai??es sobre a realidade.

Afinal, a ficAi??A?o recria a realidade e atAi?? a censura.

Deixe uma resposta