Paraná Extra

Delegado diz que PM fez confusão e que Cupertino não foi preso

O delegado-geral de Polícia de São Paulo, Ruy Ferraz Fontes, afirmou que a Polícia Militar do Paraná irá anunciar que se confundiu e que Paulo Cupertino, acusado de assassinar o ator Rafael Miguel e os pais dele, não foi preso no norte paranaense. Mais cedo, Fontes havia informado a imprensa de que o assassino havia sido preso.

Na segunda-feira (26), a polícia descobriu que Paulo Cupertino havia tirado um RG com nome falso durante a fuga.  Ele foi até um posto do instituto de identificação do Paraná, tirou foto no local, cedeu as digitais e saiu com uma nova identidade.

No documento, Paulo usou o nome de Manoel Machado da Silva. Já na foto, ele aparece com o cabelo curto, todo penteado pra trás, diferente do cabelo que usava na época do crime. De acordo com investigações, Paulo Cupertino teria passado por mais de 300 endereços em 10 estados e dois países da América do Sul.

Crime

Conforme as investigações, Paulo não concordava com o namoro do ex-Chiquititas com a sua filha Isabela Tibcherani.

Rafael Miguel, de 22 anos, namorava com Isabela há cerca de um ano quando, no dia 9 de junho de 2019, foi com os pais, João Alcisio Miguel, 52 anos, e Miriam Selma Miguel, 50, à casa dela no bairro da Pedreira, Zona Sul paulista. Eles conversavam com a jovem e sua mãe, quando Paulo chegou armado e disparou 13 tiros contra o ator e seus pais.

(Isto É)

Deixe uma resposta