Paraná Extra

Assassino de jogador nunca pagou pensão à filha de Daniel

Edison Brittes Júnior, réu confesso da morte do jogador Daniel Correa em outubro de 2018, não tem pago a pensão mensal determinada pela Justiça à filha da vítima há quase quatro meses. O valor estipulado pela Justiça é de R$ 5 mil e, até o momento, são R$ 15 mil líquidos acumulados, o que levou a Justiça a bloquear o carro Veloster e o terreno onde está a casa da família Brittes. O bloqueio do bens tem como meta garantir a compensação financeira à criança.

A Justiça determinou em outubro do ano passado que os pagamentos fossem feitos todo o dia 10, em processo cível que corre paralelamente ao criminal que trata do homicídio do jogador. Na próxima segunda-feira (10),  a dívida saltará para mais de R$ 20 mil, sem contar os juros pelo atraso.

Os bens foram bloqueadas a pedido da advogada que representa a família de Daniel no caso cível, Guiliana Pitthan. O advogado de Edison Brittes não se pronunciou a respeito.

Deixe uma resposta