Paraná Extra

Avião de deputado previa um quarto tripulante, que não embarcou

O plano de voo da aeronave Seneca PR-DMC, que caiu e matou o deputado Bernardo Ribas Carli e dois pilotos, na manhã de domingo (22), indicava, inicialmente, que quatro pessoas fariam a viagem que terminou de forma trágica.

Ainda não se sabe quem seria o quarto ocupante, nem o motivo de ele não ter embarcado na aeronave.

O avião saiu de Guarapuava, na região central do Paraná, e pousaria em União da Vitória, na região Sul, onde o parlamentar cumpriria agenda no período da tarde. A queda aconteceu na cidade vizinha de Paula Freitas, em meio a uma plantação de eucaliptos.

Uma testemunha relatou que avistou a aeronave sobrevoando a área em círculos antes de cair. Equipes da Aeronáutica realizam a perícia que irá apontar as causas do acidente. Paralelamente, a Polícia Civil instaurou um inquérito para apurar o caso.

Deixe uma resposta