Paraná Extra

Balé Guaíra apresenta nova temporada de O Lago dos Cisnes

O Balé Teatro Guaíra e a Orquestra Sinfônica do Paraná apresentam uma nova temporada de O Lago dos Cisnes entre sexta (7) e domingo (9). O espetáculo é um dos maiores sucessos da história do BTG – no primeiro semestre 13 mil espectadores assistiram à montagem, que teve duas sessões extras e todos os ingressos vendidos antecipadamente.

O Lago dos Cisnes, clássico do balé mundial, conta a história de amor entre o príncipe Siegfried e a princesa Odette, transformada em cisne por um bruxo. Esse enredo é apresentado pelo BTG com linguagem contemporânea e os bailarinos interpretam dilemas atuais, como os conflitos da entrada na vida adulta e o relacionamento entre pais e filhos. Para criar os fortes personagens do espetáculo e executar a coreografia com perfeição foram necessários cinco meses de ensaios, cerca de 600 horas.

“As lendas que inspiraram essa história são cheias de reviravoltas e enigmas. Há aqui uma simbologia sobre o amadurecimento, a busca pela autonomia e formação da personalidade. Inicialmente Siegfried é dominado pela mãe, mas encontra no amor forças para seguir seu próprio caminho”, conta o diretor do espetáculo e coreógrafo Luiz Fernando Bongiovanni.

Cíntia Napoli, diretora do BTG, afirma que O Lago dos Cisnes é o clássico mais popular da história da dança em função de sua riqueza narrativa e genialidade da composição de Tchaikovsky. “O Balé Teatro Guaíra traz a força dessa tradição, mas com uma visão atualizada. O espectador é protagonista. O público se identifica com o drama de cada personagem, é capaz de viver a história”.

SUCESSO DE PÚBLICO – Mônica Rischbieter, diretora-presidente do Centro Cultural Teatro Guaíra, explica que antes de O Lago dos Cisnes o BTG fez outras montagens populares, como Carmen, Romeu e Julieta e Cinderela. Essa foi a estratégia adotada para democratizar o acesso à cultura e incentivar a formação de plateia.

Entre 2007 e 2017, as produções do Teatro Guaíra tiveram 1,2 milhão de espectadores. Somente o Balé foi visto por 263 mil pessoas. “Somos um teatro público e trabalhamos com a ideia do encantamento. Queríamos que as pessoas se reconhecessem nas nossas produções”, diz Mônica.

Em cena, o público verá 23 bailarinos e 61 músicos. 200 pessoas estão envolvidas na montagem, que conta com efeitos especiais: a equipe do teatro faz chover no palco do Guairão. Cleverson Cavalheiro, diretor artístico do Teatro, diz que os técnicos trabalharam em conjunto com diretor e bailarinos. “Há efeitos especiais contemporâneos, mas sem perder o conflito e a humanidade. É um espetáculo muito complexo tecnicamente, que envolve muitas pessoas”. Cleverson conta que, por exemplo, no dia das apresentações, 20 técnicos – quase um por bailarino – ficam nos bastidores para fazer a movimentação cênica. “Sem essa estrutura, o espetáculo não acontece”.

O Lago dos Cisnes tem direção de arte de William Pereira e regência do mastro Luiz Gustavo Petri. As apresentações serão no Auditório Bento Munhoz da Rocha Netto, o Guaírão.

SERVIÇO: O Lago dos Cisnes.

Data: 7 a 9 – sexta e sábado às 20h30; e domingo às 18h.

Local: Auditório Bento Munhoz da Rocha Neto – Guairão – Rua Conselheiro Laurindo S/N – Centro – Curitiba – Paraná

Classificação: 7 anos.

Ingressos: R$ 20,00 (vinte reais) e R$10,00 (dez reais).

Deixe uma resposta