Paraná Extra

Bares e casas noturnas protestam porque continuarão fechados

A Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar), considerou uma perseguição o fato da bandeira amarela decretada pela Prefeitura de Curitiba ter mantido o setor com as atividades suspensas. A bandeira amarela foi retomada depois de 61 dias em bandeira laranja e passa a vigorar nesta quinta-feira (28).

Em nota, a Abrabar lembra que na bandeira amarela os bares e casas noturnas podiam funcionar até as 23 horas, e não entende porque agora a proibição.
“Nós da Abrabar lamentamos que a essência da bandeira Amarela não está sendo cumprida na totalidade, pois sempre na bandeira amarela os bares funcionaram sem restrições e o horário era as 23hs, precisamos manter padrão e bom senso para sobrevivermos e pagar os impostos e taxas que estão chegando no começo do ano, como no caso do IPTU que inclusive veio com reajuste de 11%, não podemos aceitar perseguição ou discriminação somente com as nossas atividades, louvamos e agradecemos a abertura aos domingos”, diz a nota assinada pelo presidente da entidade, Fabio Aguayo.

“Esperamos abrir diálogo para rever este posicionamento e decisão momentânea”, diz.

Segundo o decreto desta quarta-feira (27), mercados, shoppings e outros comércios voltam a funcionar aos domingos. Bares continuam proibidos.

Estabelecimentos destinados a eventos culturais, como circos, teatros, cinemas, museus, estão liberados com limitação de público: 50% da capacidade. Já estabelecimentos de eventos sociais, como casas de festas, têm limitação de 50 pessoas.

Deixe uma resposta