Paraná Extra

Café da manhã na calçada do prefeito em mais um dia de greve em Curitiba

Enquanto parte dos servidores municipais continuam em greve contra o “pacotaço” do prefeito Rafael Greca, que deve ser votado amanhã pela Câmara Municipal, para cobrar a falta de diálogo, servidores municipais se reuniram na manhã desta segunda-feira (19) em frente ao prédio em que mora o prefeito, para tomar café da manhã. Com pães, frutas e bolo, a mesa foi preparada pelos representantes do Sindicato dos Servidores Municipais de Curitiba (Sismuc), que se mobilizam para criticar a permanência do regime de urgência da votação. Greca viu a manifestação, mas saiu de carro pela garagem, sem falar com os servidores.

O Sismuc alega que na reunião da última terça-feira (13), na Prefeitura, não houve avanços.

“Na negociação realizada nesta terça-feira(13), na Câmara dos Vereadores de Curitiba (CMC), a qual se estendeu até às 22h, os servidores e o Ministério Público do Paraná(MP-PR) defenderam a retirada da votação do pacotaço. Fizemos o que foi acordado, mas o secretário Jamur disse que a retirada do regime de urgência não compete ao Executivo e afirmou, ainda,  que essa medida é competência do legislativo municipal ”, acrescenta.

O Sismuc  observou que da mesma forma que não é competência do Executivo exercer poder sobre a retirada do regime de urgência, não é competência do sindicato a elaboração de emendas. “Tanto os vereadores como a administração já sabem o posicionamento e as propostas dos sindicatos para que a prefeitura saia da crise: substituir ajuste fiscal por justiça social”, reflete Irene.

Deixe uma resposta