Paraná Extra

Carnaval: cuidado com a doenA�a do beijo

A DoenA�a do Beijo, como A� conhecida popularmente, A� uma sA�ndrome infecciosa que acomete principalmente pessoas entre 15 e 25 anos. Ela A� causada pelo vA�rus Epstein-Barr, que atua sobre os linfA?citos do organismo. a�?A doenA�a costuma ser confundida com amigdalites e faringites, as chamadas infecA�A�es de garganta, por apresentar sintomas como febre alta, dor durante a deglutiA�A?o dos alimentos, tosse, dor nas articulaA�A�es, cansaA�o, falta de apetite, dor de cabeA�a, calafrios, desconforto abdominal, vA?mitos e dores muscularesa�?, explica Mauro Scharf, diretor mA�dico da Unimed LaboratA?rio.

Como nA?o existe vacina especA�fica, nA?o hA? uma proteA�A?o efetiva contra o vA�rus. a�?A eliminaA�A?o do vA�rus ocorre principalmente pela saliva do paciente sintomA?tico. Mas mesmo pacientes completamente assintomA?ticos podem ser fonte de contA?gioa�?, alerta o infectologista da Unimed LaboratA?rio, Jaime Rocha. Na A�poca do Carnaval ou apA?s grandes eventos festivos, A� possA�vel notar um aumento de casos da doenA�a, pois as pessoas tendem a beijar mais e a aumentar o nA?mero de parceiros.

A infecA�A?o A� controlada pelo prA?prio organismo depois de duas semanas, mas nesse perA�odo pode ser transmitida. Os efeitos da doenA�a sA?o combatidos com analgA�sicos, antitA�rmicos, repouso e boa hidrataA�A?o. a�?O paciente recupera-se espontaneamente, porA�m, uma pequena proporA�A?o de doentes necessita de mais tempo. Sendo autolimitada, A� uma doenA�a que pode passar sem diagnA?stico confirmado caso o paciente nA?o procure serviA�o mA�dico adequado e faA�a os exames corretamentea�?, afirma Mauro Scharf.A�

Sintomas

Fadiga

SensaA�A?o geral de mal-estar

Dor de garganta

InflamaA�A?o de garganta que nA?o melhora com o uso de antibiA?ticos

Febre

InchaA�o dos gA?nglios linfA?ticos no pescoA�o e axilas

AmA�gdalas inchadas

Dor de cabeA�a

ErupA�A?o cutA?nea

Sintomas como febre e dor de garganta geralmente diminuem dentro de duas semanas. No entanto, outros sinais como fadiga, aumento dos gA?nglios linfA?ticos e baA�o inchado podem durar por mais tempo.

A�DiagnA?stico

A anA?lise dos sintomas A� fundamental para o diagnA?stico da mononucleose e alguns exames ajudam a confirmar o diagnA?stico:

Exames sorolA?gicos: um teste pode ser feito para detectar a presenA�a de anticorpos para o vA�rus EpsteinBarr no seu corpo. Este exame dA? resultados dentro de um dia, mas nA?o pode detectar a infecA�A?o durante a primeira semana da doenA�a.

Hemograma completo: um hemograma completo pode ser feito para descartar outras infecA�A�es.

Exames de fA�gado: podem ser feitos para descobrir se o vA�rus estA? afetando esse A?rgA?o. Se o teste de mononucleose A� negativo, o mA�dico pode testA?-lo para uma infecA�A?o por citomegalovA�rus ou outros organismos.A�

PrevenA�A?o

A mononucleose A� transmitida atravA�s da saliva. Se estiver infectado, ajude a prevenir a propagaA�A?o do vA�rus para outras pessoas:

NA?o compartilhe alimentos, pratos, copos e outros utensA�lios por atA� vA?rios dias apA?s cessar os sintomas.

O vA�rus Epstein-Barr pode persistir em sua saliva durante meses apA?s a infecA�A?o, por isso a mononucleose A� popularmente conhecida como a doenA�a do beijo.

Deixe uma resposta