Paraná Extra

Caso Louise Maeda: decisão sobre júri deve sair no fim de semana

Depois de quase 10 horas de julgamento, terminou perto da meia noite desta terça-feira (22) a audiência de instrução do caso de assassinato da jovem Louise Maeda. Foram ouvidos dois dos três réus acusados no processo – Márcia do Nascimento, 21 anos, e Élvis de Souza, 20.

 

A terceira ré, Fabiana Perpétua de Oliveira, 20, não foi ouvida porque os advogados solicitaram um exame de sanidade mental e o processo foi desmembrado.

 

Com o adiantado da hora, a juíza Cristine Lopes da 1º Vara Criminal de Curitiba, terminou a audiência ainda faltando as considerações finais tanto da promotoria, quanto da defesa, dando um prazo de cinco dias para apresentação por escrito das alegações.

 

Segundo o advogado Gianfranco Petruzielo (assistente de acusação do Ministério Público do Paraná), a juíza deve, até o fim da próxima semana, pronunciar a sentença favorável ao júri popular.

 

“Apesar dos atrasos e da longa audiência, acredito que tudo ocorreu de maneira tranquila, rumo a resolução total do caso. A juíza deu este prazo para defesa e acusação apresentaram os pareceres por escrito justamente pelo avançado da hora”, disse Petruzielo. “Acredito que a juíza decida pelo júri popular”, completou.

 

Acusados

 

Márcia e Elvis estão sendo acusados de homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver: teve motivo torpe, impossibilidade de defesa da vítima e foi cometido para assegurar que outro crime (os furtos) ficasse impune. Os dois estão presos desde junho, assim com a Fabiana.

 

De acordo com o inquérito do caso, o crime foi motivado por vingança e razão da universitária ter denunciado furtos que vinham ocorrendo no caixa da iogurteria onde trabalhava. O crime ocorreu em 31 de maio deste ano, por volta das 23h57, em uma ponte sobre o Rio Iguaçu, situada na rua Pellanda, Bairro Campo do Santana, em Curitiba. Louise recebeu dois tiros, e, logo em seguida, seu corpo foi arremessado do alto da ponte.

 

O crime

 

Louise e Fabiana deixaram juntas o Shopping Mueller, no dia 31 de maio, onde trabalhavam em uma iogurteria. Segundo a polícia, Márcia teria convencido Fabiana a convidar a vítima para ir a um barzinho. Elas entraram em um carro onde Marcia e Elvis as esperavam.

 

Os quatro jovens seguiram até o bairro de Campo de Santana. Lá Márcia simulou passar mal. Quando Louise saiu do carro para ver o que acontecia, foi arrastada para um ponto isolado onde foi executada a tiros. O corpo foi encontrado no dia 17 de junho em uma cava do Rio Iguaçu, em Curitiba. No dia seguinte, Marcia e Fabiana foram presas. Dois dias depois, Elvis se entregou à polícia.

 

(Portal Banda B)

Deixe uma resposta