Paraná Extra

Cida manobra e impede votaA�A?o de reajuste do funcionalismo de novo

Em mais uma manobra patrocinada pela governadora Cida Borghetti, a Assembleia Legislativa deixou de votar novamente hoje (4) a proposta do Executivo de reajuste de 1% para os servidores pA?blicos do Executivo. A articulaA�A?o do PalA?cio IguaA�u contou com o envio de um substitutivo ao projeto original, o que acabou com o regime de urgA?ncia de 48 horas que venceria hoje, ao mesmo tempo que a bancada do governo impediu a realizaA�A?o da ComissA?o de ConstituiA�A?o e JustiA�a, que daria o parecer ao projeto.

Tudo em funA�A?o do governo ter sido alertado de que seria apresentada uma emenda em plenA?rio, assinada por 31 deputados, que igualaria o reajuste do funcionalismo em geral ao A�ndice que estA? sendo concedido aos funcionA?rios do Legislativo, JudiciA?rio, Tribunal de Contas, MinistA�rio PA?blico e Defensoria PA?blica, que A� de 2,76%. A emenda A� fruto de uma alianA�a entre a oposiA�A?o e os dois partidos comandados por Ratinho Junior (PSC), que A� candidato ao governo estadual e concorrente de Cida Borghetti. A emenda precisa sA? de 28 votos para ser aprovada.

Depois de muito debate, com a bancada de apoio ao governo fora do plenA?rio, que tinha 28 presenA�as registradas, o presidente da Assembleia, Ademar Traiano (PSDB) se comprometeu a colocar o projeto em pauta novamente na segunda-feira prA?xima (9). Se nA?o houver parecer, pelo regimento passadas novamente as 48 horas, o projeto pode ser votado direto no plenA?rio. Isso se o PalA?cio nA?o enviar outro projeto para anular o prazo.

Os deputados da oposiA�A?o se revezaram em plenA?rio para criticar as manobras de Cida. O deputado Professor Lemos (PT) disse que se nA?o der o reajuste, a governadora nA?o poderA? mais sair do PalA?cio. RequiA?o Filho (MDB) destacou que o funcionalismo perde poder de compra de mais de um salA?rio por ano pela falta de reajuste.

MA?rcio Nunes (PSD) ironizou a ausA?ncia dos deputados da base governista no plenA?rio. a�?Ontem eles eram os tigrA�es, hoje eles sA?o os tchutchucas, escondidos nos seus gabinetesa�?, disse. Evandro AraA?jo (PSC), Tadeu Veneri (PT), Anibelli Junior (MDB), Nereu Moura (MDB), PA�ricles de Melo (PT), dentre outros deputados criticaram a atitude de Borghetti, alguns inclusive insinuando que deputados teriam sido ameaA�ados para nA?o irem A� sessA?o e A� reuniA?o da CCJ.

No final da sessA?o a mesa da AssemblA�ia leu nova mensagem da governadora retirando o regime de urgA?ncia do projeto de reajuste, o que revoltou a oposiA�A?o e as galerias, ocupadas por sindicalistas e servidores pA?blicos.

 

Deixe uma resposta