Paraná Extra

Cinzas do vulcão só aparecem em Santa Catarina, mas vôos estão normalizados

Apenas Santa Catarina, na Região Sul, registra hoje (20) a presença de partículas de cinzas causadas pela erupção do Vulcão Puyehue, localizado no Sul do Chile. Nos estados do Rio Grande do Sul e Paraná, o céu está limpo, segundo Gil Russo, do Instituto Nacional de Meteorologia em Porto Alegre.

 

As chuvas que atingiram Santa Catarina nos últimos dois dias limparam a atmosfera, e a ausência de nuvens no estado nesta quinta-feira ameniza a situação, tornando os relatos da presença de cinzas vulcânicas pouco significativos se comparados aos da última terça-feira (18), conforme o meteorologista Marcelo Martins, do Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina (Ciram).

 

Segundo ele, foram correntes de jatos de ventos fortes, de até 100 quilômetros por hora, atuando nos altos níveis da atmosfera, que trouxeram as partículas de cinzas para o Sul, percorrendo uma distância de 2,7 mil quilômetros. “Esses ventos se deslocam na direção Sudoeste/Nordeste e, com muitas nuvens no trajeto, as partículas se misturaram a elas e desceram junto com a chuva, atingindo o solo”, explicou Martins.

 

Com a melhora da situação, as companhias aéreas TAM e Gol informam que os voos estão ocorrendo normalmente para a Região Sul. A Gol restabeleceu as operações nos aeroportos de Florianópolis e Navegantes, em Santa Catarina, e de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. A companhia destaca que tem acompanhado em tempo real o movimento da nuvem de cinzas e que, pelos últimos prognósticos, encontrou condições de realizar os voos para esses destinos com segurança.

 

Como as condições meteorológicas e a atividade do vulcão estão mudando constantemente, a TAM informa que permanecerá analisando as informações disponíveis sobre a densidade e o deslocamento da nuvem de cinzas. Os passageiros continuarão sendo informados sobre qualquer mudança nas operações.

 

O tempo é estável no Paraná e em grande parte do Rio Grande Sul, onde pode chover no nordeste do estado. Segundo a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), até domingo (23) o índice ultravioleta estará elevado, na categoria extremo, com valores estimados em 11, numa escala que vai de 0 a 11. A recomendação é que a população utilize proteção solar adequada a cada pele.

 

Há risco de focos de queimadas, por causa do solo seco e da umidade relativa do ar muito baixa.. Essa condição só muda no início da próxima semana, com a chegada de uma nova frente fria à região.

 

(Agência Brasil)

Deixe uma resposta