Paraná Extra

Com 108 anos, sobrevivente da gripe espanhola é vacinada

Ela sobreviveu a uma das pragas mais letais que o mundo conheceu: a gripe espanhola que, em 1918, causou entre 20 a 50 milhões de mortes. Nesta quarta-feira (10), aos 108 anos, Anna Ribas de Andrade adicionou mais uma vitória à lista do seu século de vida: a primeira dose da vacina contra a covid-19.

Para esse momento tão especial, a família acompanhou Anna até o drive-thru preparado pela Prefeitura de Curitiba na Paróquia Nossa Senhora do Carmo, no Boqueirão. A idosa mora no bairro Guabirotuba.

“Ela conta que perdeu um primo e um tio na gripe espanhola, quando moravam em Fernandes Pinheiro (interior do Paraná) e que o que estamos vivendo agora é algo muito parecido”, conta Adelina de Andrade Barros, sobrinha da dona Anna.
Adelina relata que devido ao avanço da idade, Anna não distingue muito bem as duas pandemias.

“Ela acha que está tomando a vacina da gripe espanhola, mas sabe que é importante e é para ao bem dela e de todos.”

Fora dos veículos, a emoção também tomou conta da equipe da Secretaria Municipal da Saúde responsável pela vacinação.

“É muito bom fazer parte dessa história e, depois de tanta dor, ver as pessoas chorando de alegria de poder vacinar alguém como a dona Anna é de arrepiar”, fala Carlos Alberto da Cruz, vacinador.

Para este primeiro dia de vacinação dos idosos a Secretaria Municipal da Saúde destacou mais de 300 pessoas. As equipes estão nos 13 pontos para cadastrar, vacinar e registrar a dose na carteira de vacinação que é entregue com a programação para a segunda dose.

As vacinas aplicadas nos idosos são CoronaVac, produzidas pelo Instituto Butantan.

José Henrique completará 100 anos em setembro e espera poder comemorar o século de vida com festa em família e a segurança da imunização. Ao receber a primeira dose da vacina não conteve as lágrimas.

“Estou muito feliz”, disse ele.

Deixe uma resposta