Paraná Extra

Com decisão final do STF, Carli deve ir a júri no início de 2018

O Supremo Tribunal Federal, em processo relatado pelo ministro Gilmar Mendes, recusou por unanimidade o último recurso da defesa do ex-deputado estadual Luiz Fernando Ribas Carli Filho e confirmou que ele seja julgado por um júri popular. A decisão foi tornada pública nesta terça-feira (7) e agora o Tribunal do Júri de Curitiba vai definir em qual data irá acontecer o julgamento. Carli Filho é acusado de provocar a morte de dois jovens em maio de 2009 em um acidente de trânsito no bairro Mossunguê.

Mortes

Na madrugada do dia 7 de maio de 2009, o então deputado estadual Luiz Fernando Ribas Carli Filho, com a carteira de motorista suspensa (130 pontos), decolou com seu veículo a 173 km/h, em uma das ruas de Curitiba, aterrissando sobre outro veículo e causando a morte de Gilmar Rafael Souza Yared (26) e Carlos Murilo de Souza (20). Carli Filho saiu de um restaurante e estaria alcoolizado.

Em agosto de 2009 o Ministério Público ofereceu denúncia criminal contra Carli Filho por duplo homicídio doloso eventual. Em 2011 foi confirmado pela Segunda Vara do Júri de Curitiba que ele deveria ser julgado por um júri popular, mas novos recursos levaram o caso até o STF.

Agora, no STF, por unanimidade de votos a Corte entendeu que o caso deve ser julgado pelo júri em Curitiba, repelindo todos os argumentos protelatórios da defesa.

Deixe uma resposta