Paraná Extra

Começa maior julgamento da história paranaense, envolvendo 13 policiais

Policiais se reuniram em frente ao Tribunal do Júri, no Centro Cívico de Curitiba, na manhã desta quarta-feira (4) para apoiar os 13 policiais militares que serão julgados a partir desta quarta. O júri começou nesta manhã (4) e pode durar até dez dias, conforme a expectativa das partes. Os PMs – que faziam parte das Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam) – são acusados de matar cinco suspeitos de furtar um carro vão ser julgados. O caso aconteceu em 2009, no bairro Atuba.
A acusação contra eles é de homicídio triplamente qualificado, por meio cruel, motivo torpe e não permitir defesa as vítimas, além de fraude processual por terem retirados estojos de bala deflagrados do local do crime.
De acordo com o Ministério Público do Paraná (MP-PR), serão ouvidas 61 testemunhas de defesa e dez testemunhas de acusação. As testemunhas de acusação são ouvidas por primeiro para, então, as de defesa prestarem depoimento.
Depois, ocorre o interrogatório de cada um dos acusados. Em seguida, os representantes do MP-PR e os advogados debatem. A partir de então, os sete jurados definirão se condenam ou absolvem os réus.
Segundo os exames de necropsia, que estão no processo, foram encontrados pelo menos quatro tiros em cada um das cinco pessoas que morreram, o que, conforme o MP-PR, configura execução.
Ainda de acordo com o MP-PR, três dos cinco suspeitos não tinham antecedentes criminais. O carro, um Gol, onde estavam os suspeitos tinha alerta de roubo, mas nenhuma vítima de roubo apareceu depois do caso.
Todos os suspeitos morreram antes de chegar ao hospital.

(G1)

Deixe uma resposta