Paraná Extra

Como frequA?ncias nA?o usadas de TV podem levar internet a lugares remotos

Mais da metade da populaAi??A?o mundial nA?o tem acesso Ai?? internet – no Brasil, sA?o mais de 70 milhAi??es sem conexA?o Ai?? rede, segundo dados da UniA?o Internacional de TelecomunicaAi??Ai??es, das NaAi??Ai??es Unidas. E, por mais surpreendente que possa parecer, a soluAi??A?o pode estar em uma tecnologia que chegou muito antes da revoluAi??A?o digital: a televisA?o analA?gica.
A ideia Ai?? usar os chamados “espaAi??os em branco” dos canais de televisA?o para levar a rede a esses 57% do globo que nA?o tA?m internet (mais de 4 bilhAi??es de pessoas).

O nome oficial da tecnologia serA? Rede de A?rea Regional Sem Fio (WRAN, na sigla em inglA?s), mas ela jA? Ai?? informalmente conhecida como “super wi-fi”. Basicamente, prevA? ocupar as redes de televisA?o nA?o utilizadas com um tipo de conexA?o wi-fi que conseguiria alcanAi??ar distA?ncias muito grandes.
Essa nA?o Ai?? a A?nica iniciativa em curso para tentar mudar a situaAi??A?o de quem vive nas zonas mais rurais: o Google faz isso com o Projeto Loon, que coloca nos cAi??us uma rede de balAi??es, e o Facebook usa drones.

Mas agora a Microsoft quer tomar a dianteira com o super wi-fi. Desde 2008, a companhia e outras empresas tentavam gerar o acesso Ai?? rede por meio dessa tecnologia, que Ai?? mais potente do que os sinais de celulares, jA? que pode “atravessar” melhor as paredes de cimento e outros obstA?culos fAi??sicos.

A Microsoft anunciou no inAi??cio de julho que usarA? os chamados “espaAi??os em branco” dos canais para conectar as zonas mais remotas dos Estados Unidos Ai?? internet.

Direito de imagem Getty Images Image caption Uma pesquisa com dados da UniA?o Internacional de TelecomunicaAi??Ai??es mostra que mais de 70 milhAi??es de brasileiros nA?o tA?m acesso Ai?? internet
A empresa Ai?? uma das primeiras a implementar essa tecnologia. Por enquanto, ela quer testA?-la em solo americano e, caso se mostre eficaz, a exportA?-la para outros lugares do mundo.

O plano Ai?? explorar as bandas de frequA?ncia UHF que nA?o sA?o utilizadas para “acabar com a brecha tecnolA?gica e estabelecer uma rede em A?reas subdesenvolvidas”, explicou a empresa de Seattle.

“A Microsoft estA? trabalhando com sA?cios de todo o mundo para desenvolver tecnologias e modelos de negA?cio que facilitarA?o o acesso Ai?? internet para milhAi??es de pessoas”, declarou Paul Garnett, diretor de Iniciativas de Acesso a PreAi??os AcessAi??veis da companhia.

Mas nA?o foi a Microsoft que inventou isso. Engenheiros da Universidade de Rice, em Houston (EUA) haviam testado a ideia pela primeira vez em 2015.

“Devido Ai?? popularidade da televisA?o a cabo, satAi??lite e internet, o UHF Ai?? uma das parte mais subutilizadas do espectro sem fio nos Estados Unidos”, explicou o pesquisador principal da universidade Ai?? Ai??poca, Edward Knightly.

Agora, a empresa quer aproveitar essa possibilidade em 12 Estados do paAi??s – entre eles Arizona, Kansas, Nova York e VirgAi??nia. Em entrevista ao jornal The New York Tumes, seu presidente, Brad Smith, classificou os espaAi??os em branco como “a melhor soluAi??A?o para chegar aos 80% da populaAi??A?o americana rural que nA?o tem banda larga hoje em dia”.

Vantagens
Mas o que a Microsoft e outras empresas que tA?m investido nessa causa ganham ao promover esse tipo de aAi??A?o?

Em primeiro lugar, mais de 24 milhAi??es de “clientes em potencial” que poderA?o usar, uma vez conectados, seus serviAi??os de nuvem, aplicativos e outras ferramentas digitais. E, alAi??m disso, elas podem ganhar prestAi??gio de marca e popularidade.

Para apoiar seu plano, a Microsoft comeAi??ou negociaAi??Ai??es com reguladoras estatais para que elas possam garantir o uso dos canais de televisA?o para este fim e para que invistam na extensA?o da tecnologia em A?reas rurais.

Mas hA? ainda alguns obstA?culos pelo caminho.

Poucos fabricantes estA?o criando dispositivos compatAi??veis com essa tecnologia e alguns dos que podem ser usados custam pelo menos US$ 1 mil por unidade.

A AssociaAi??A?o Nacional de Radiodifusores dos Estados Unidos (NAB, na sigla em inglA?s) diz que hA? apenas 800 dispositivos compatAi??veis com o super wi-fi registrados pelos reguladores.

“Os espaAi??os em branco supAi??em uma oportunidade tremenda para ajudar na cobertura de radiodifusA?o nas A?reas rurais e isso justifica o custo inicial dos fabricantes”, disse Doug Brake, analista da Information Technology & Innovation Foundation (ITIF), uma organizaAi??A?o sem fins lucrativos nos Estados Unidos.

Outro desafio Ai?? a batalha interminA?vel com emissoras de televisA?o, que garantem que o super wi-fi poderia prejudicar o funcionamento dos outros canais.

“A Microsoft estA? hA? mais de uma dAi??cada fazendo promessas sobre a tecnologia dos espaAi??os em branco. Em que momento podemos finalmente concluir que ela Ai?? um fracasso?”, escreveu Patrick McFadden, do Conselho Geral da NAB.

Enquanto isso, a gigante garante que seu objetivo nA?o Ai?? se tornar uma empresa de telecomunicaAi??Ai??es, mas que quer apenas conseguir que os dispositivos para usar essa tecnologia sejam mais acessAi??veis.

VA?rias universidades americanas se mostraram favorA?veis, mas falta muito para que o super wi-fi seja um padrA?o de mercado.

Alguns de seus crAi??ticos a comparam com a falida WiMAX, que foi apresentada como a principal estratAi??gia para alcanAi??ar as zonas rurais, mas depois se mostrou um fracasso.

(BBC Brasil)

Deixe uma resposta