Paraná Extra

Confusão com corintianos teria começado com invasão da Império

O torcedor do Corinthians agredido na partida entre o clube paulista e o Coritiba teve alta ontem (18) mesmo e já foi encaminhado para São Paulo. Ele permaneceu internado no Hospital do Trabalhador, pouco tempo depois que a briga entre os torcedores começou.

No mesmo dia, houve a informação de que este torcedor teria morrido em decorrência dos golpes que sofreu durante a briga, levantada pelo delegado Clóvis Galvão, da Delegacia Móvel de Atendimento a Futebol e Eventos, mas o boato foi desconsiderado horas depois.

A confusão começou quando dois ônibus e uma van da torcida organizada do Corinthians, a Gaviões da Fiel, chegaram ao local e foram atingidos por pedras e pedaços de madeira.

O secretário de Segurança Pública do Paraná, Wagner Mesquita, falou que os veículos seguiram um trajeto diferente do proposto pela polícia e saíram da rota de escolta estabelecida, com a intensão de provocar os torcedores do Coxa. A torcida corintiana informou pelas redes sociais que invadiu a sede da torcida do Coritiba com a intenção de roubar as bandeiras, mas acabou sendo surpreendida por um grupo que chegava e fugiu.
No confronto, seis torcedores ficaram feridos, sendo que o homem encaminhado para o hospital ontem, foi o que teve os piores ferimentos, pois foi atingido com chutes na cabeça. Ainda durante o jogo, a Polícia fez a prisão em flagrante do suspeito de ter desferido os chutes que vitimaram o corinthiano que ficou em estado grave. Ao todo, outros sete torcedores foram indiciados pelo crime de agressão, sendo que quatro já foram identificados e a polícia vai utilizar imagens de câmeras de segurança para buscar os outros suspeitos.

Em nota, a principal torcida organizada do Coritiba, a Império Alviverde, falou que os corinthianos que chegaram ao estádio sem escolta seguiram em direção às ruas onde os torcedores do Coritiba normalmente ficam antes do jogo. De acordo com a organizada, os corinthianos sabiam que estavam no território da torcida local e estavam provocando os membros da torcida da Coritiba, que reagiu às provocações.

O Coritiba, por sua vez, repudiou a ação e creditou elas exclusivamente às torcidas organizadas. O clube ainda disse que vai prestar todo o apoio para as investigações da Demafe. Já o Corithians, também em seu site oficial, repudiou a ação e disse que deseja pronto reestabelecimento aos torcedores que sofreram com a violência no entorno do estádio. A torcida organizada do Clube, Gaviões da Fiel, ainda não se pronunciou sobre o tema.

A Polícia Civil informou que quem sofreu alguma agressão em brigas antes, durante ou depois do jogo pode denunciar o caso. Os boletins de ocorrência podem ser registrados diretamente na Delegacia Móvel de Atendimento ao Futebol e Eventos (Demafe). O telefone da unidade especializada é o (41) 3326-3600.

Deixe uma resposta