Paraná Extra

Copa do Mundo deve movimentar R$ 252 milhA�es em bares e restaurantes

A Copa do Mundo deverA? gerar um incremento de R$ 251,7 milhA�esA�no faturamento das atividades especializadas em serviA�os de alimentaA�A?o, como bares e restaurantes. A estimativa, divulgadaA�hojeA�(15), A� da ConfederaA�A?o Nacional do ComA�rcio de Bens, ServiA�os e Turismo (CNC). O aumento da clientela nos mesesA�de junhoA�e julho corresponderA? a 3,3% do faturamento mA�dio mensal normal.

Quase metade (48,6%) dos valores de faturamento esperados pelo setor de alimentaA�A?o estA?o concentrados em SA?o Paulo (R$ 82,1 milhA�es) e RioA�de JaneiroA�(R$ 40,3 milhA�es). O ParanA? aparece em seguida, com uma receita de R$ 33 milhA�es.

Consumo

A CNC aponta tambA�m que 9,9% das famA�lias brasileiras que moram em capitais pretendem fazer algum tipo de gasto relacionado ao setor de alimentaA�A?o por causa do Mundial de 2018. Desse percentual, 1,9% pretende gastar em bares e restaurantes.

A intenA�A?o de consumo de alimentos e bebidas em casa se manteve equivalente ao verificado em 2014, com cerca de 53%. Para as famA�lias de maior poder aquisitivo, no entanto, cresceu a preferA?ncia pelo consumo domiciliar, passando de 40,4% em 2014 para 50,6% em 2018.

Em Belo Horizonte - MG, milhares de torcedores, de vA?rias nacionalidades, lotam a PraA�a da Savassi diariamente, para acompanhar os jogos do mundial da Fifa (Marcello Casal Jr/AgA?ncia Brasil)

O aumento da clientela nos mesesA�de junhoA�e julho corresponderA? a 3,3% do faturamento mA�dio mensal normal de bares e restaurantesA�- Marcello Casal jr/AgA?ncia Brasil

ComparaA�A?o com 2014

A estimativa de faturamento para a Copa deste ano representa uma queda de 36,9% em relaA�A?o aos R$ 399 milhA�es faturados durante o torneio de 2014. Segundo a CNC, a diferenA�a estA? relacionada A� diminuiA�A?o do fluxo turA�stico nacional e internacional, tendo em vista que os jogos anteriores ocorreram no Brasil.

A crise econA?mica tambA�m foi apontada pela DivisA?o EconA?mica da CNC como justificativa para uma menor movimentaA�A?o financeira no perA�odo.

Nos A?ltimos quatro anos, os serviA�os de alimentaA�A?o acumularam uma variaA�A?o mA�dia de 29,9%, enquanto o A?ndice de PreA�os ao Consumidor Amplo (IPCA) avanA�ou 25,9%. As maiores altas de preA�os ocorreram no Distrito Federal (+60%) e no Rio Grande do Sul (+37%). Por outro lado, Bahia (+24,7%) e GoiA?s (+26,5) registraram as menores altas.

(AgA?ncia Brasil)

Deixe uma resposta