Paraná Extra

Curitiba tem variação de 126% no preço da carne de frango

O preço de alguns cortes de frango nos mercados curitibanos teve variação de até 126% desde a última semana de maio e o dia 15 de junho. O levantamento é do Disk Economia, serviço da prefeitura, que acompanha os preços nas lojas da cidade. Segundo a planilha, no fim de maio o quilo do peito com osso registrava preço em torno de R$ 5,78 em uma rede de supermercados. Na semana seguinte – logo após o fim da greve dos caminhoneiros, o preço na mesma rede havia mais que dobrado para R$ 13,07.

Depois que os estoques começaram a se restabelecer no país, o valor baixou, mas continua acima do cobrado no mês passado. O último levantamento mostra o corte a R$ 7,07 na mesma rede e chega a R$ 10,59 em outros estabelecimentos. O aumento também foi verificado no preço do frango congelado inteiro, que chegou a custar R$ 3,49 o quilo e passou para R$ 5,25. O menor valor do quilo do pedaço da coxa-sobrecoxa passou de R$ 6,48 para R$ 8,99. O preço do pedaço da asa também teve um aumento expressivo, saindo de R$ 9,90 para R$ 12,98 na última semana.

Segundo o Sindicato das Indústrias dos Produtos Agrícolas do Paraná (Sindiavipar), houve uma queda no número de abates no mês de maio, em relação a 2017. No ano passado, 157 milhões de aves foram abatidas no período. Neste ano, foram quase 120 milhões. A redução é pequena, mas para o técnico pode ser uma das justificativas da alteração nos preços.

A queda nas exportações também é um indicativo para o aumento dos preços numa tentativa de compensação. Roberto acredita também que outros itens podem sofrer aumentos.

O aumento é sentido em outras regiões do país, também. Em São Paulo, por exemplo, um levantamento da Fundação Procon mostrou alta de 12% no preço do quilo do frango na cidade. Em Curitiba, o serviço do Disk Economia é uma opção para quem quiser monitorar os preços. Pelo telefone 3262-6564 e pelo site da prefeitura é possível consultar a situação dos preços nas principais redes de supermercados. Outra dica é utilizar o aplicativo Menor Preço, do governo estadual, que lista os valores de notas emitidas em estabelecimentos no Paraná.

(Bandnews)

Deixe uma resposta