Paraná Extra

Dallagnol diz que decisA?o do STF coloca em risco a Lava Jato

O procurador Deltan Dallagnol, que integra a ForAi??a-Tarefa da OperaAi??A?o Lava Jato, afirmouAi??hoje (19) em Curitiba, ao lado de seus colegas procuradores, que a decisA?o do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Marco AurAi??lio de Mello,Ai??de mandar libertar todos os que nA?o estejam definitivamente julgados ou em prisA?o cautelar “coloca em risco a prA?pria existA?ncia da Lava Jato”. Segundo ele, a consequA?ncia nA?o se restringe Ai?? soltura de 35 presos da Lava Jato condenados em segundaAi??instA?ncia.

“Afeta nA?o sA? reus da Lava Jato, mas as delaAi??Ai??es premiadas e a prA?pria existA?ncia da Lava Jato. Colarinho branco sem prisA?o emAi??segundaAi??instA?ncia Ai?? garantia de impunidade”, afirmou. Segundo ele, nesta situaAi??A?o, nA?o haverA? mais incentivos para que os investigados optem pela colaboraAi??A?o premiada.

Dallagnol avaliou ainda que a decisA?o de Marco AurAi??lio clomid women, clomid women, clomid women, clomid women, clomid women, clomid women, clomid women, clomid women, clomid women, clomid women, clomid women, clomid women, clomid women, clomid women, clomid women, clomid women, clomid women, clomid women. afeta atAi?? as prisAi??es preventivas, jA? que elas nA?o podem durar muito e nA?o teriam como ser substituAi??das por prisAi??es emAi??segundaAi??instA?ncia.

O procurador defendeu que o Supremo reverta o entendimento de Marco AurAi??lio em nome da estabilidade e da seguranAi??a jurAi??dica. “A decisA?o triamcinolone acetonide ointment kenya, triamcinolone acetonide ointment kenya, triamcinolone acetonide ointment kenya, triamcinolone acetonide ointment kenya, triamcinolone acetonide ointment kenya, triamcinolone acetonide ointment kenya. isoladaAi??do ministroAi??subverte o princAi??pio da precedA?ncia e da colegialidade”, afirmou.

Os procuradores afirmaram que, nos A?ltimos dois anos, o STFAi??jA? decidiu quatro vezes, em plenA?rio, ao examinar recursos especAi??ficos,Ai??que a prisA?o emAi??segundaAi??instA?ncia Ai?? vA?lida.

“NA?oAi??Ai?? razoA?vel que, no A?ltimo dia de trabalho, na vAi??spera do recesso forense, se tome, sem fato novo, uma decisA?o como essa. Num momento em que o plenA?rio [do STF] nA?o pode mais se manifestar, quem vai decidir sobre todos que podem ser soltos?, questionou o procurador Roberson Pozzobon. O procurador estimou em cerca deAi??200 mil o nA?mero de possAi??veis apenados que podem ser beneficiados pela liminar do ministro do Supremo.

Os integrantes da Lava Jato defendem que a liminar seja suspensaAi??e que se mantenha o calendA?rio, jA? divulgado pelo presidente do STF, ministro DiasAi??Toffoli, de examinar a prisA?o emAi??segundaAi??instA?ncia em abril prA?ximo.

“Precisamos de uma JustiAi??a que funcione. Com estabilidade e previsibilidade para o o mercadoAi??e para as investigaAi??Ai??es. Temos confianAi??a de que o STF vai reverter essa decisA?o equivocada. O tribunal jA? emitiuAi??vA?rias decisAi??es que permitiram as investigaAi??Ai??es da Lava Jato”, lembrou Deltan Dallagnol.

(AgA?ncia Brasil)

Deixe uma resposta