Paraná Extra

Decreto de Ratinho é um dos alvos de Bolsonaro

O presidente da Repúblca, Jair Bolsonaro, recorreu ontem (27) ao Supremo Tribunal Federal contra decretos estaduais e municipais que preveem lockdown e toques de recolher em razão da pandemia da covid-19. O presidente pede que sejam declaradas inconstitucionais as medidas de governadores e prefeitos adotadas nos estados do Paraná, Rio Grande do Norte e Pernambuco. O governador Ratinho Junior é um dos aliados do Palácio do Planalto. Até a manhã de hoje (28) ainda não se conhecia o ministro relator da ação.

A ADI (Ação Direta de Inconstitucionalidade) foi apresentada pela AGU (Advocacia-Geral da União), entidade que representa juridicamente o presidente e servidores federais. A ação é assinada por Bolsonaro e pelo advogado-geral da União, André Mendonça.

A  AGU afirma que Bolsonaro não está questionando decisões anteriores do STF, que reconheceu direito de governadores e prefeitos decretarem medidas sanitárias de restrição ao deslocamento, mas sim que “algumas dessas medidas não se compatibilizam com preceitos constitucionais inafastáveis”.

A AGU diz ainda que a intenção da ação é invalidar juridicamente esses decretos, mas, também, que sejam considerados “os devastadores efeitos que medidas extremas e prolongadas trazem para a subsistência das pessoas, para a educação, para as relações familiares e sociais, e para a própria saúde – física e emocional – da população”.

Deixe uma resposta