Paraná Extra

Dieese prevê que 13º salário deve injetar R$ 12,5 bilhões na economia

O pagamento do 13º salário deve injetar R$ 12,5 bilhões na economia do Paraná até o final do ano. As estimativas são do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), divulgado ontem. Esse montante representa em torno de 2,9% do PIB estadual, e deve beneficiar cerca de 5,1 milhões de paranaenses. No País todo, o pagamento deve chegar a R$ 211,2 bilhões.

No ano passado o 13º salário injetou R$ 11 bilhões na economia de fim de ano no Paraná e pouco mais de R$ 200 bilhões no País.

No estado, os empregados do mercado formal, celetistas ou estatutários, representam 59,7%, enquanto pensionistas e aposentados do INSS equivalem a 38,4%. O emprego doméstico com carteira assinada participa com 1,8%.

Em relação aos valores que cada segmento receberá, nota-se a seguinte distribuição — os empregados formalizados ficam com 72,0% (R$ 8,95 bilhões) e os beneficiários do INSS, com 21,0% (R$ 2,6 bilhões), enquanto aos aposentados e pensionistas do Regime Próprio do estado caberão 5,6% (R$ 700,7 milhões) e aos do Regime Próprio dos municípios, 1,3%.

A primeira parcela do 13º salário dos trabalhadores deve ocorrer até 30 de novembro, podendo ser antecipada caso a empresa tenha dinheiro em caixa. Já a segunda parcela deve ser paga até o dia 20 de dezembro. Para os empregados do setor formal, a estimativa é de que R$ 8,8 bilhões serão pagos aos 3,07 milhões de trabalhadores formais do setor público e privado no Paraná, excluídos os empregados domésticos.

A maior parcela do montante a ser distribuído caberá àqueles que estão empregados no setor de Serviços (incluindo administração pública), que ficarão com 59,3% do total destinado ao mercado formal; os empregados da Indústria receberão 20,3%; o Comércio 15,2%; aos que trabalham na Construção Civil será pago o correspondente a 3,0%; e aos trabalhadores da Agropecuária caberão 2,2%.

Em termos de valores médios, o valor do 13º salário pago ao setor formal corresponde a R$ 2.874,49. A maior média deve ser paga aos trabalhadores do setor de Serviços, equivalente a R$ 3.426,78; a Indústria aparece com o segundo valor, equivalente a R$ 2.672,36; e o menor foi verificado entre os trabalhadores da Agropecuária, com R$ 1.869,14.

Deixe uma resposta