Paraná Extra

Donos de empresa e técnico são denunciados por explosão e morte

O casal dono da empresa Impeseg, Bruna Formankuevisky Lima Porto Correa e José Roberto Porto Correa, e o técnico de impermeabilização Caio Santos foram denunciados à Justiça pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR), nesta terça-feira (22). Os três são apontados como responsáveis pela explosão que terminou com a morte do pequeno Matheus Lamb, de 11 anos, no bairro Água Verde.
Segundo o MP-PR, a denúncia foi apresentada à 2ª Vara do Tribunal do Júri de Curitiba, já que considera a ocorrência de dolo eventual. O casal de proprietários foi denunciado por um homicídio consumado e dois tentados, com duas qualificadoras: motivo torpe e uso de explosão. Já Caio, que aplicou o produto, foi denunciado pelos mesmos crimes, sem a qualificadora do motivo torpe.

O dolo eventual já era apontado pela Delegacia de Explosivos, Armas e Munições (Deam), que entende que os três assumiram o risco que levou ao crime.

A explosão aconteceu no dia 29 de junho de 2019. Matheus Lamb foi arremessado para fora do apartamento após a explosão e não resistiu à queda.

A irmã dele, Raquel Lamb, teve 55% do corpo queimado. Já o marido de Raquel, Gabriel Araújo, queimou 30% do corpo.

Caio Santos foi a terceira vítima que ficou internada na UTI do Hospital Evangélico. Durante o andamento do inquérito, ele chegou a mudar de versão sobre o ocorrido.

Deixe uma resposta