Paraná Extra

E-commerce faturou R$ 61,9 bi em 2019, crescimento de 16,3% sobre 2018

 

O ano de 2019 fechou com alta de 16,3% nas vendas do comércio eletrônico, com faturamento de R$ 61,9 bilhões, enquanto em 2018 foi de R$ R$ 53,2 bilhões. O número foi impulsionado pela breve retomada da economia e também pelo fortalecimento do segmento de e-commerce no país. Segundo a Ebit Nielsen, o número de pedidos no ano também foi maior que no anterior, totalizando 148,4 milhões de compras em 2019 frente a 122,7 milhões.

Mas, se o faturamento e os pedidos aumentaram, o valor médio do tíquete foi menor: de R$ 434 para R$ 417, queda de 3,9%. Esse movimento pode ser verificado nos dias do evento da última edição da Black Friday, quando as vendas aumentaram, porém o valor médio de desembolso foi menor na comparação com 2018.

O número final de 2019 superou a projeção do Webshoppers 40º (estudo de maior credibilidade sobre o comércio eletrônico brasileiro e a principal referência para os profissionais do segmento), que era de R$ 59,8 bilhões.

“Na análise dos últimos relatórios da Ebit Nielsen, percebemos uma tendência de aumento do volume de compras via internet, com vendas cada vez maiores pelo canal mobile, como aconteceu na Black Friday – momento em que 55% dos pedidos foram feitos por meio de celulares e tablets. Isso, consequentemente, leva a um tíquete médio menor. Ou seja, temos um crescimento na frequência de compras, impulsionado por categorias de consumo mais dinâmicas”, explica Roberto Butragueño, diretor de Atendimento ao Varejo e E-commerce, Nielsen Brasil.

Esse crescimento deve se manter em 2020, com uma expectativa de faturamento de R$ 74 bilhões, puxado pela entrada de novos players, principalmente do setor de Alimentos e Bebidas. Essas categorias, segundo Ebit Nielsen, têm garantido a participação de um consumidor mais frequente nas compras virtuais.

Por outro lado, o índice MCC-ENET, desenvolvido pelo Comitê de Métricas da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net) em parceria com o Movimento Compre & Confie, revela que o e-commerce brasileiro registrou queda nas vendas de dezembro de -28,08%, ao comparar com o mês anterior. O faturamento no mesmo período sinaliza variação de -38,05.

Apesar das variações negativas no mês de dezembro em comparação com o mês anterior, quando da análise em comparação com o ano de 2018, o cenário muda. Na comparação das vendas varejistas online dezembro de 2019, frente ao mesmo período do ano anterior, o indicador sinaliza uma movimentação positiva de 40,93%. O acumulado do ano foi de 54,16%, variação maior que o registrado no acumulado em dezembro de 2018, qual seja: 34,46%.

Nota-se que, na avaliação dos índices de vendas online, por região, dezembro ante novembro, todas tiveram desempenho negativo: Sudeste (-25,85%); Centro-Oeste (-27,41%); Norte (-28,18%); Nordeste (-32,91%) e Sul (-34,27%). Já no acumulado do ano, todas as regiões tiveram resultados positivos. Neste caso, a configuração ficou da seguinte forma: Nordeste (71,42%); Norte (68,81%); Sul (55,92%); Centro-Oeste (53,91%); e Sudeste (51,65%).

Deixe uma resposta