Paraná Extra

EletricitA?rios entram em greve em protesto contra privatizaA�A?o

EletricitA?rios da Eletrosul no ParanA? e da Furnas Centrais ElA�trica, em Foz do IguaA�u, no oeste do estado, estA?o com as atividades paradas atA� esta quarta-feira (13). As duas empresas sA?o subsidiA?rias da Eletrobras. A mobilizaA�A?o A� nacional, contra a privatizaA�A?o da estatal. A paralisaA�A?o nA?o deve interferir no abastecimento de energia do Estado a�� apenas atividades administrativas e manutenA�A�es programadas foram interrompidas. Na subestaA�A?o de Furnas, que A� responsA?vel pela transmissA?o da energia produzida pela hidrelA�trica de Itaipu, cerca de 90 funcionA?rios aderiram ao movimento.

De acordo com o diretor administrativo do Sindicato dos EletricitA?rios de Foz do IguaA�u (Sinefi), Paulo Zuchoski, a mobilizaA�A?o deve durar 72 horas e A� uma forma de mostrar o posicionamento dos funcionA?rios sobre a possibilidade da privatizaA�A?o da empresa.

Na divisA?o regional da Eletrosul, aproximadamente 85 funcionA?rios reforA�am a paralisaA�A?o em Guarapuava, IvaiporA? e Campo MourA?o. Segundo a assessoria de imprensa da Eletrobras, todas as empresas ligadas a estatal paralisaram as atividades por 72 horas, sem afetar o abastecimento de energia.

Em alguns casos, a questA?o salarial tambA�m estA? sendo discutida. Segundo Zuchoski, no ParanA? essa pauta nA?o estA? sendo abordada na mobilizaA�A?o e nA?o existe previsA?o de ampliar o perA�odo de paralisaA�A?o.

O governo federal pretende vender seis distribuidoras de energia elA�trica da Eletrobras: Amazonas Distribuidora de Energia, Boa Vista Energia, Centrais ElA�tricas de RondA?nia, Companhia de Eletricidade do Acre, Companhia EnergA�tica de Alagoas e Companhia de Energia do PiauA�.

Um leilA?o chegou a ser agendado para maio, mas foi adiado porque a proposta de edital nA?o tinha sido aprovada pelo Tribunal de Contas da UniA?o (TCU). Zuchoski afirma que o objetivo da mobilizaA�A?o A� chamar atenA�A?o para a pauta.

A venda das distribuidoras chegou a ser autorizada pelo TCU no dia 30 de maio, mas no dia 5 de junho uma decisA?o daA�JustiA�a do Trabalho do Rio de Janeiro determinou a suspensA?o do processo de venda de cinco das seis unidades. A Advocacia-Geral da UniA?o (AGU) e a estatal recorreram ao Tribunal Regional do Trabalho da 1A? RegiA?o para derrubar decisA?o. As distribuidoras devem apresentar no prazo de 90 dias um estudo sobre os impactos da privatizaA�A?o nos contratos de trabalho.

(CBN)

Deixe uma resposta