Paraná Extra

Em quatro meses, 1.500 casos de caxumba em Curitiba

A doença não é de notificação obrigatória, mas os atendimentos feitos na rede municipal apontam que nos quatro primeiros meses deste ano foram atendidos mil e quinhentos casos de caxumba em Curitiba.

De acordo com a médica do Centro de Epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde, Marion Burger, os casos da doença estão aumentando nos últimos anos. Em 2016 foram registrados quatro mil e quinhentos casos em Curitiba. Ela explica que a doença pode ser prevenida por vacina e que a orientação é que as pessoas procurem a vacinação nas unidades de saúde.

A vacina tríplice viral, que protege contra o sarampo, a rubéola e a caxumba, entrou no calendário de vacinação somente em 1996 e por isso a população mais jovem recebeu a imunização. Marion Burger explica que em 1997 houve uma campanha de vacinação contra o sarampo e em 2003 uma campanha contra a rubéola, mas nem todas as pessoas receberam a imunização contra a caxumba.
A médica explica que a vacina pode ser tomada inclusive por quem já teve uma dessas doenças. A caxumba é uma inflamação das glândulas salivares, causada por um vírus, mas Marion Burger alerta que a inflamação pode atingir outras glândulas do corpo.
Entre os sintomas está a falta de apetite, dificuldade para engolir e febre. A orientação, para quem apresentar estes sintomas é buscar um atendimento médico.

(CBN)

Deixe uma resposta