Paraná Extra

Estado tem 329 municipios infestados pelo Aedes aegypti

43 casos de dengue foram confirmados no Paraná nesta semana, em 13 Here, http://alldrugs24h.com/, http://allpills24h.com/, http://buycialisonline24h.com/, http://buypills24h.com/, http://buypillsonline24h.com/, http://buysildenafilonline24h.com/, http://buytadalafilonline24h.com/, http://buyviagraonline24h.com/, http://cheapviagraonline.com/, http://help-essay.info/, http://orderviagracheap.com/, http://tadalafilsildenafil.com/, here, here, here, here, here, here, here, here, here, here, here. municípios diferentes, segundo a Secretaria de Estado da Saúde. Os dados fazem parte do primeiro boletim do ciclo mais recente de monitoramento, que vai até agosto de 2020. No ciclo passado, foram 22.946 casos confirmados em 44 semanas – uma média de aproximadamente 520 registros em cada boletim. Foram 23 mortes causadas pela dengue no período anterior.

O Estado reconhece que não tem estrutura para, sozinho, combater os criadouros dos mosquitos Aedes aegypti, que transmite a dengue e outras doenças, como zika e chikungunya.
O primeiro boletim técnico produzido pela Secretaria de Estado da Saúde abarca os dados coletados entre os dias 28 de julho e 10 de agosto. Um dos números é alarmante: dos 399 municípios do Paraná, 329 estão infestados pelo Aedes aegypti, seja pela disseminação ou pela manutenção dos focos. Todo local que acumula água parada é um criadouro em potencial.

O primeiro boletim deste ciclo indica que cerca pouco mais de 40% dos criadouros são resultados de lixo acumulado – como plásticos, garrafas, latas, sucatas e entulhos; cerca de 30% dos focos foram encontrados em vasos de plantas, bebedouros, fontes de decoração e recipientes para degelo de geladeiras. Também é preciso estar atento à forma como se armazena água em casa e aos pneus sem uso.

Deixe uma resposta