Paraná Extra

Ex-milionário tenta aplicar golpe e é preso em Curitiba

Um estelionatário que se indentificou para a polícia como sendo irmão do empresário Girsz Aronson, 91, que ficou conhecido como o “rei do varejo” em São Paulo com a venda de eletrodomésticos e morreu em 2008, foi preso em flagrante em Curitiba nesta segunda-feira (8), no momento em que iria dar um golpe de R$ 900 mil em uma imobiliária da Avenida Batel. Segundo a polícia, Henrique Aronson, de 43 anos, se apresentou como irmão do empresário, fato que será investigado.

Na internet, há várias menções de golpes aplicados por ele. Seu alvo são  mulheres sozinhas. Ele se faz passar por milionário da família de G.  Aronson e assim manipula as pessoas.

A prisão de Henrique Aronson aconteceu depois que a Polícia do Rio de Janeiro enviou para a Delegacia de Estelionatos de Curitiba a extensa ficha de golpes do “bom vivant”. Ele fugiu do Rio e de São Paulo depois de enganar muita gente, na maioria mulheres. Segundo o delegado Cassiano Alfiero, assim que chegou em Curitiba, Aronson alugou um apartamento na Praça Osório, no centro, e o mobiliou inteirinho com eletrodomésticos, móveis e eletrônicos comprados por meio de cartões de crédito furtados.

Há dias que os policiais estavam acompanhando os passos de Aronson, esperando momento certo de fazer o flagrante. “Sabíamos exatamente a hora e o dia em que ele iria comprar um apartamento de maneira fraudulenta em uma imobiliária do Batel. Montamos campana e na hora em que ele iria fechar o negócio, o prendemos em flagrante”, informou o delegado Alfiero.

Pancadaria de mulheres

Assim que foi preso, duas mulheres apareceram na delegacia em Curitiba se identificando como mulher de Aronson. Assim que uma bateu o olho na outra começou uma sessão de tapas e puxões de cabelo. Segundo testemunhas, logo que as duas foram separadas, começou a revolta contra o preso que, felizmente para ele, estava trancado na cela.

Segundo a polícia,  só em Curitiba, Henrique Aronzon teria outras seis namoradas que conheceu por meio de redes sociais. A todas, dizia ser um empresário bem sucedido, dono de empresa e de vários imóveis. Bem vestido, o golpista enganava as mulheres e logo conseguia acesso aos cartões de crédito das vítimas. Com sua lábia, fazia também que algumas lhe comprassem jóias e lhe pagassem jantares em restaurantes caros.

Família rica

Henrique Aronson diz que já foi rico. Mesmo sem dinheiro, não perdeu a pose e continuou com o mesmo padrão de vida mantido às custas de seus golpes.

O estelionatário deverá ser transferido para o Centro de Triagem, em Curitiba.

(Portal Banda B)

Deixe uma resposta