Paraná Extra

Ex-secretário de José Richa assume Conselho Estadual de Educação

O novo presidente do Conselho Estadual de Educação do Paraná (CEE-PR), Oscar Alves, tomou posse nesta segunda-feira (13), durante solenidade, em Curitiba. Alves substitui o ex-presidente do Conselho, o professor Romeu Gomes de Miranda, que ficou à frente da entidade por cinco anos.

Membro do Conselho Estadual de Educação do Paraná por nove anos, o professor doutor Oscar Alves foi Reitor da Universidade Estadual de Londrina de (1974 a 1978) e da Universidade Norte do Paraná (2000 a 2002). Exerceu também a função de secretário estadual de Saúde e Bem Estar Social do Estado do Paraná (1979 a 1982) e foi eleito deputado federal do Estado (1983 e 1987).

O Conselho Estadual de Educação é o órgão normativo, consultivo, de deliberação coletiva e de orientação da política educacional do Sistema Estadual de Ensino do Paraná. É formado por 19 membros indicados pelo governador, mais um secretário-geral, vice-presidente e presidente. O presidente também é indicado pelo governador do Estado.

Para o secretário da Educação Flávio Arns, o desafio deste novo presidente é tornar o Conselho mais próximo da sociedade paranaense. “O governo do Estado tem a marca do diálogo e temos que trazer esta abertura para dentro do Conselho. Acreditamos que o presidente do Conselho deve ser escolhido por meio de eleição, de maneira democrática. E o professor Oscar tem toda a condição de conduzir este processo”, afirmou.

Arns também destacou a importância do trabalho de parceria com o professor Romeu, que deixa a presidência do Conselho. “Neste ano fizemos uma caminhada juntos, com muito respeito e amizade”, disse. Outro desafio do novo presidente, na opinião de Arns, e que contará com o apoio do Governo, é encontrar um novo prédio para abrigar o Conselho.

Para o presidente empossado, Oscar Alves, um dos principais desafios de seu trabalho frente ao Conselho será o de modificar a legislação do órgão, que data de 1964. “Queremos que efetivamente a autonomia e a representatividade sejam colocadas em prática, conforme prevê a Constituição Estadual, conforme o artigo 228”, disse.

Deixe uma resposta