Paraná Extra

Greve de fome já dura oito dias na porta do Palácio Iguaçu

Professores e demais funcionários da educação estadual completam o oitavo dia de greve de fome em frente ao Palácio Iguaçu no Centro Cívico. Eles protestam contra a realização do Processo Seletivo Simplificado (PSS), para a contratação de professores temporários. O concurso prevê uma prova escrita como critério de seleção, o que para os professores coloca em risco a vida dos inscritos, devido à pandemia.

Além disso, os servidores pedem que um concurso público seja realizado e que os profissionais já contratados pelo regime PSS tenham os contratos renovados. Na semana passada membros da Secretaria de Estado da Educação e Esporte (Seed), deputados estaduais e representantes dos professores se reuniram mas não chegaram a um acordo sobre o PSS. Conforme a entidade que representa os servidores (APP-Sindicato) a categoria deve se reunir hoje (26) de forma online, a partir das 15h. Um dos pontos que estará na pauta, segundo a entidade, é o início de uma greve geral em todo o estado.

Sobre a greve de fome, a entidade que representa os servidores (APP-Sindicato) informou que está monitorando as condições de saúde dos grevistas com uma unidade móvel de atendimento. Procurada pela reportagem, a Secretaria da Educação disse que não vai se manifestar sobre a continuidade do protesto.

(Bandnews)

Deixe uma resposta