Paraná Extra

Greve de vigilantes continua e mais caixas estão sem dinheiro

A greve dos vigilantes do transporte de valores do Paraná segue nesta segunda-feira (6) ainda sem previsão de acordo entre patrões e empregados.Neste final de semana, vários ouvintes relataram à Banda B que tentaram sacar dinheiro em caixas eletrônicos de Curitiba e região metropolitana e não conseguiram.

 

“Fui a três agências do Banco do Brasil no Bigorrilho e no Água Verde e não tinha dinheiro em nenhum caixa. Não sei como fazer. Tenho várias contas que precisam ser pagas com dinheiro em espécie”, reclamou a ouvinte Maria de Fátima Junki.

 

Os trabalhadores de transporte de valores e escolta armada do Paraná rejeitaram a proposta oferecida pelas empresas na última quinta-feira (2), de reajuste de 7,31% e elevação do piso dos funcionários da tesouraria, que hoje recebem piso de cerca de R$ 700,00, segundo informou o sindicato da categoria (Sindeesfort-PR).

 

A proposta recusada pelos trabalhadores também previa aumento no vale-alimentação e mudança no sistema de banco de horas, foi considerada insatisfatória. A categoria reivindica reajuste salarial de 13%, convênio médico totalmente custeado pelas empresas, e inclusão do adicional de 30% por risco de vida no 13º salário e nas férias.

 

Para minimizar os riscos de desabastecimento, algumas agências da Caixa Econômica Federal (CEF) de Curitiba e região metropolitana limitaram desde quinta-feira passada os saques nos caixas eletrônicos e físicos. O valor varia de acordo com a unidade varia de acordo com a unidade.

 

Durante a greve, cada cliente da Caixa pode sacar R$ 700 por dia nos caixas eletrônicos e R$ 3 mil nos caixas físicos. Antes da greve, os limitem eram de R$ 1 mil e R$ 5 mil, respectivamente.

 

No Banco do Brasil, cada agência recebeu autonomia da direção para decidir sobre o limite de saque. Os gerentes deverão avaliar de acordo com a demanda.

Deixe uma resposta