Paraná Extra

IBGE diz que mulheres ganham menos mesmo tendo curso superior

Mesmo em nA?mero maior entre as pessoas com ensino superior completo, as mulheres ainda enfrentam desigualdade no mercado de trabalho em relaAi??A?o aos homens. Essa disparidade se manifesta em outras A?reas, alAi??m do item educaAi??A?o. Ai?? o que comprova o estudo EstatAi??sticas de GA?nero: Indicadores Sociais das Mulheres no Brasil, divulgado hoje (7) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e EstatAi??stica (IBGE).

Tomando por base a populaAi??A?o de 25 anos ou mais de idade com ensino superior completo em 2016, as mulheres somam 23,5%, e os homens, 20,7%. Quando se comparam os dados com homens e mulheres de cor preta ou parda, os percentuais sA?o bastante inferiores: 7% entre os homens e 10,4% entre mulheres.

Em relaAi??A?o ao rendimento habitual mAi??dio mensal de todos os trabalhos e razA?o de rendimentos, por sexo, entre 2012 e 2016, as mulheres ganham, em mAi??dia, 75% do que os homens ganham. Isso significa que as mulheres tA?m rendimento habitual mAi??dio mensal de todos os trabalhos no valor de R$ 1.764, enquanto os homens, R$ 2.306.

A economista Betina Fresneda, analista da GerA?ncia de Indicadores Sociais do IBGE explica que os resultados educacionais nA?o se refletem necessariamente no mercado de trabalho. Segundo ela, as mulheres, por terem nAi??vel de instruAi??A?o maior do que os homens, nA?o deveriam ganhar o mesmo salA?rio, em mAi??dia, deles. ai???Deveriam estar ganhando mais, porque a principal variA?vel que explica o salA?rio Ai?? educaAi??A?o. VocA? nA?o sA? nA?o tem um salA?rio mAi??dio por hora maior, como na verdade essa proporAi??A?o Ai?? menor.ai???

TambAi??m a taxa de frequA?ncia escolar lAi??quida ajustada no ensino mAi??dio em 2016 exibe maior percentual de mulheres (73,5%) que de homens (63,2%). A mAi??dia Brasil atingiu 68,2%. Estudos mostram que o ambiente escolar Ai?? mais adequado ao tipo de criaAi??A?o dado Ai??s meninas, em que se premia a disciplina, por exemplo, disse a analista. ai???Tem mais a ver entA?o com caracterAi??sticas da criaAi??A?o das meninas. Outros estudos mostram que, a partir do ensino mAi??dio, por exemplo, os homens comeAi??am a conciliar mais estudo e trabalho do que as mulheres. Diversos fatores que estA?o associados a papAi??is de gA?nero.ai???

Em termos de rendimentos, vida pA?blica e tomada de decisA?o, a mulher brasileira ainda se encontra em patamar inferior ao do homem, bem como no tempo dedicado a cuidados de pessoas ou afazeres domAi??sticos. A pesquisa confirma ainda a desigualdade existente entre mulheres brancas e negras ou pardas.

No tA?pico da educaAi??A?o, o estudo procurou ressaltar tambAi??m que entre as mulheres, as desigualdades sA?o marcantes. As mulheres brancas alcanAi??am superior completo em proporAi??A?o duas vezes maior que as pretas ou pardas. ai???EntA?o, existe um efeito tambAi??m da cor da pessoa na chance de concluir o ensino superiorai???, destacou a economista.

O IBGE reuniu informaAi??Ai??es de trA?s pesquisas no levantamento: Pesquisa Nacional por Amostra de DomicAi??lios (Pnad), Pesquisa Nacional por Amostra de DomicAi??lios ContAi??nua (Pnad ContAi??nua) e Pesquisa Nacional de SaA?de (PNS), partindo da base do Conjunto MAi??nimo de Indicadores de GA?nero (Cmig), proposto pela OrganizaAi??A?o das NaAi??Ai??es Unidas (ONU). Somaram-se a isso dados do MinistAi??rio da SaA?de, do Congresso Nacional e do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais AnAi??sio Teixeira do MinistAi??rio da EducaAi??A?o (Inep). Os indicadores apurados foram agrupados em cinco temas: estruturas econA?micas e acesso a recursos; educaAi??A?o; saA?de e serviAi??os relacionados; vida pA?blica e tomada de decisAi??es; e direitos humanos de mulheres e crianAi??as. Dependendo do indicador, o perAi??odo analisado vai se 2011 a 2016.

Estruturas econA?micas

De acordo com o estudo, o tempo dedicado aos cuidados de pessoas ou a afazeres domAi??sticos Ai?? maior entre as mulheres (18,1 horas por semana), do que entre os homens (10,5 horas por semana). Na mAi??dia Brasil, sA?o dedicadas por homens e mulheres 14,1 horas por semana a esse tipo de trabalho. ai???Por qualquer nAi??vel de desagregaAi??A?o que a gente faAi??a, seja por regiAi??es, como por raAi??a ou por grupo de idade, hA? mulheres se dedicando com um nA?mero de horas bem maior do que os homens a esse tipo de trabalhoai???, ressaltou a pesquisadora do IBGE, Caroline Santos.

Deixe uma resposta