Paraná Extra

ImportaA�A?o via Aeroporto Internacional tA?m crescimento de 9%

O terminal de logA�stica de carga (Teca) do Aeroporto Internacional de Curitiba/SA?o JosA� dos Pinhais a�� Afonso Pena registrou crescimento de 9,09% na movimentaA�A?o de volumes importados no primeiro semestre deste ano ante o mesmo perA�odo de 2016. De janeiro a junho, o complexo logA�stico recebeu 5.653,6 toneladas de cargas, ante as 5.182,3 t armazenadas nos seis primeiros meses do ano passado.

Entre as principais cargas movimentadas no setor de importaA�A?o do Teca de Curitiba, destacam-se insumos para automA?veis, peA�as e partes automotivas a�� incluindo caminhA�es, A?nibus e equipamentos agrA�colas a��, equipamentos eletrA?nicos e de informA?tica, partes e peA�as para elevadores, esteiras e escadas rolantes, materiais para a indA?stria cirA?rgica e produtos quA�micos. Essas mercadorias vA?m de paA�ses como FranA�a, Alemanha, SuA�cia, EUA, Espanha, ItA?lia e Argentina.

De acordo com o superintendente do aeroporto Afonso Pena, Antonio Filipe Bergmann Barcellos, o complexo logA�stico do Afonso Pena movimenta uma grande variedade de cargas, atendendo a diversos setores da indA?stria e fomentando o desenvolvimento do estado, da regiA?o e do paA�s. a�?Este crescimento A� uma A?tima notA�cia em meio ao perA�odo que estamos vivenciando e sinaliza uma melhora na atividade econA?mica do paA�sa�?, afirmou.

O Teca de Curitiba foi inaugurado no ano de 1974, sendo o primeiro complexo logA�stico da Infraero. Conta com uma A?rea total de 34 mil mA?, sendo 17 mil mA? de A?rea construA�da e 3.364,96 mA? para armazenagem. O espaA�o inclui cA?maras refrigeradas e uma estrutura de 600 mA? para o recebimento de cargas vivas. O terminal de cargas do Afonso Pena A� um dos trA?s complexos logA�sticos aeroportuA?rios do Brasil aptos para o armazenamento de cargas vivas a�� os demais sA?o os Tecas do Aeroporto de Viracopos (SP) e do Aeroporto do GaleA?o (RJ).

Entre os equipamentos disponA�veis para a movimentaA�A?o de cargas no Afonso Pena, hA? empilhadeiras a combustA?o e elA�tricas, transpaleteiras elA�tricas e manuais, niveladoras de docas, plataformas elevatA?rias, racks fixos, porta-paletes, trator, carreta de reboque tipo dolly, carreta de reboque tipo prancha, carreta de reboque tipo bagagem, balanA�as diversas, cofre, guincho para trator, equipamentos de raios x, varredeira e termohigrA?metros.

Neste ano, a Infraero adotou um novo posicionamento estratA�gico e de mercado na A?rea de logA�stica de carga, buscando expandir o portfA?lio de serviA�os e produtos de logA�stica integrada oferecidos pela empresa e ampliando a parceria com a iniciativa privada nos negA?cios. Os processos licitatA?rios de diversos Tecas da empresa sA?o um passo importante dessas novas diretrizes.
AtA� o momento, cinco processos de concessA�es de complexos logA�sticos jA? foram realizados pela empresa: GoiA?nia (GO), Curitiba (PR), VitA?ria (ES), SA?o JosA� dos Campos (SP) e Recife (PE). Os quatro primeiros jA? tiveram seus contratos assinados e, no caso de GoiA?nia e Curitiba, a empresa vencedora deverA? assumir as operaA�A�es dos complexos atA� o inA�cio do segundo semestre deste ano. O processo do Aeroporto do Recife estA? em fase de assinatura do contrato.
Todos os contratos em questA?o preveem prazo de concessA?o de dez anos, sem investimentos vinculados por parte das empresas concessionA?rias. Os valores de luva (preA�o mA�nimo mensal) totais obtidos com os cinco contratos somam R$ 2,95 milhA�es.
TambA�m estA?o previstas as concessA�es do Teca de Joinville, com abertura do edital prevista para o dia 14/8, alA�m do complexo logA�stico de Manaus, com lanA�amento do edital previsto para este semestre.
Com seu novo posicionamento, a Infraero busca permanecer alinhada A�s melhores prA?ticas de mercado, mantendo a competitividade no setor e buscando todas as oportunidades possA�veis para gerar valor, reduzir custos e garantir a mA?xima eficiA?ncia.

Deixe uma resposta