Paraná Extra

InadimplA?ncia do consumidor creceu 6,03% no mA?s passado

Dados apurados pela ConfederaAi??A?o Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo ServiAi??o de ProteAi??A?o ao CrAi??dito (SPC Brasil) apontam que o volume de consumidores com contas em atraso e registrados em listas de inadimplentes cresceu 6,03% no A?ltimo mA?s de novembro na comparaAi??A?o com igual mA?s do ano passado. Trata-se do crescimento mais acentuado para os meses de novembro desde 2011, quando a alta observada fora de 8,10%. Nos demais anos as altas haviam sido de 0,2% em 2017; 0,7% em 2016; 4,4% em 2015; 3,4% em 2014; 4,0% em 2013 e 3,9% em 2012.

Na variaAi??A?o mensal, isto Ai??, na passagem de outubro para novembro, sem ajuste sazonal, tambAi??m houve uma aceleraAi??A?o no volume de atrasos, com crescimento de 1,9% no perAi??odo. O paAi??s encerrou novembro com aproximadamente 63,1 milhAi??es de brasileiros com o CPF negativado em virtude de atrasos no pagamento de contas. Isso faz com todo esse contingente de consumidores enfrente dificuldades para obter crAi??dito, seja por meio de financiamentos e emprAi??stimos em instituiAi??Ai??es financeiras ou compras a prazo no comAi??rcio, por exemplo.

Na avaliaAi??A?o do presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior, apesar de a recessA?o ter chegado ao seu fim, a inadimplA?ncia do consumidor continua elevada, pois a recuperaAi??A?o econA?mica segue lenta e nA?o se refletiu em melhora nos nAi??veis de renda e nem em queda considerA?vel do desemprego. ai???Os dois pilares fundamentais, que sA?o emprego e renda, ainda enfrentam percalAi??os. Por isso que o fim da recessA?o nA?o foi o suficiente para melhorar as finanAi??as do brasileiro. O ambiente econA?mico vem esboAi??ando uma retomada gradual e bastante lenta e frustrou as expectativas de que o ano de 2018 seria o da consolidaAi??A?o dessa recuperaAi??A?oai???, explica o presidente

Norte tem a populaAi??A?o mais inadimplente do paAi??s: 47% dos adultos da regiA?o nA?o conseguem quitar compromissos

A regiA?o que mais contribuiu para a alta da inadimplA?ncia em novembro foi o Sudeste, cujo crescimento foi de 12,5% no perAi??odo. No Sul, a alta foi de 2,1%, seguido do Nordeste (1,6%) e do Norte (1,4%). A A?nica regiA?o a ter queda na quantidade de brasileiros inadimplentes foi o Centro-Oeste, cuja recuo verificado foi de -2,7%.

No geral, a regiA?o brasileira em que hA? mais consumidores com contas em atraso, de modo proporcional Ai?? populaAi??A?o, Ai?? o Norte: sA?o mais de 5,65 milhAi??es de pessoas adultas com o nome inseridos em cadastros de devedores, o que representa 47% da populaAi??A?o de seus Estados. Em segundo lugar estA? o Centro-Oeste, onde 43% dos adultos estA?o inadimplentes, formando um contingente de 5,09 milhAi??es de consumidores com atraso nas contas. No Nordeste sA?o 17,22 milhAi??es de inadimplentes, ou 42% de sua populaAi??A?o adulta negativada. O Sudeste possui, numericamente, a maior populaAi??A?o de inadimplentes no paAi??s: 26,72 milhAi??es. No entanto, esse nA?mero representa 40% dos consumidores. No Sul, 37% da populaAi??A?o de adultos estA?o inadimplentes ou 8,41 milhAi??es de pessoas com o CPF restrito.

INADIMPLASNCIA

Dados do indicador tambAi??m revelam que o crescimento da inadimplA?ncia Ai?? mais expressivo conforme aumenta a idade do consumidor. Em novembro, aumentou em 11,8% o volume de idosos com idade entre 65 e 84 registrados como inadimplentes. As altas tambAi??m foram elevadas em outras faixas etA?rias como a que vai dos 50 aos 64 anos (8,5%), acima de 85 anos (7,7%) e dos 40 aos 49 anos (7,1%). Considerando as pessoas de 30 a 39 anos, houve um aumento de 3,9% no volume de inadimplentes.

Entre a populaAi??A?o mais jovem, a inadimplA?ncia apresentou retraAi??A?o em novembro, como a queda de -22,3% entre devedores de 18 a 24 anos e a de -4,0% levando em conta os consumidores de 25 a 29 anos.

DAi??vidas em nome de pessoas fAi??sicas crescem 4,77% em um ano. De todas as pendA?ncias, dAi??vidas com instituiAi??Ai??es financeiras respondem por 51%

Outro dado do indicador Ai?? o volume de dAi??vidas em nome de pessoas dAi??vidas. Nesse caso, houve uma alta de 4,77% em novembro frente o mesmo mA?s de 2017. O dado representa uma forte aceleraAi??A?o do crescimento das dAi??vidas, uma vez que em novembro do ano passado, a quantidade over the counter lotrasine, over the counter lotrasine, over the counter lotrasine, over the counter lotrasine, over the counter lotrasine, over the counter lotrasine. de dAi??vidas havia caAi??do 3,8%.

A abertura do indicador por setor da economia revela que as dAi??vidas bancA?rias, que englobam cartA?o de crAi??dito, cheque especial, financiamentos e emprAi??stimos, foi a lAi??der no ranking de crescimento, com alta de 10% no perAi??odo. Em seguida surgem os atrasos com serviAi??os de internet, TV por assinatura e telefonia, cuja alta foi de 9%. JA? as contas bA?sicas para o funcionamento da residA?ncia, como A?gua e luz, cresceram 7,1% no volume de atrasos. O A?nico setor a apresentar queda na quantidade de dAi??vidas nA?o pagas foi o comAi??rcio, que teve recuo de 6,6%.

De modo geral, as dAi??vidas com instituiAi??Ai??es financeiras continuam ocupando a maior fatia do total de dAi??vidas que estA?o em atraso no paAi??s: 51% das pendA?ncias sA?o devidas a essas empresas. Logo depois vem os serviAi??os de comunicaAi??A?o (15%), crediA?rio no comAi??rcio (17%) viagra in philippines, viagra in philippines, viagra in philippines, viagra in philippines, viagra in philippines, viagra in philippines, viagra in philippines, viagra in philippines, viagra in philippines, viagra in philippines, viagra in philippines, viagra in philippines, viagra in philippines, viagra in philippines, viagra in philippines, viagra in philippines, viagra in philippines, viagra in philippines. e contas de A?gua e luz (9%).

Deixe uma resposta