Paraná Extra

Já afastado, vereador é agora acusado de transporte de eleitores

Em Arapoti, Campos Gerais, o então presidente da Câmara de Vereadores da cidade (afastado recentemente do cargo em consequência da Operação Judas) e um amigo foram denunciados criminalmente pelo Ministério Público do Paraná, por meio da Promotoria Eleitoral da Comarca, por realizar o transporte de eleitores no primeiro turno das eleições deste ano, o que é proibido por lei. Foi constatado que dois idosos foram levados para votar pelos denunciados.

O crime de transporte ilegal de eleitores (artigo 302 da Lei 4.737/1965, o Código Eleitoral) prevê pena de quatro a seis anos de reclusão e multa.

Escutas – O caso chegou a conhecimento do MPPR de forma indireta, via escutas telefônicas, como um desdobramento da Operação Judas, deflagrada pela instituição na semana passada e voltada a coibir fraudes em licitações na Casa Legislativa – o presidente da Câmara foi afastado por suposto envolvimento nas ilegalidades.

Deixe uma resposta