Paraná Extra

Petrobras garante que vai normalizar entrega de óleo diesel

Já está faltando diesel em alguns postos de Curitiba.

Já está faltando diesel em alguns postos de Curitiba.

 

O abastecimento com óleo diesel menos poluente deve começar a ser normalizado a partir desta sexta-feira (9) na Região Metropolitana de Curitiba, segundo a Petrobras. O combustível é de uso obrigatório para caminhões que trafegam nas grandes cidades, por ser menos poluente, mas estava em falta nos postos nos últimos dias.

A Petrobras informou também que a Refinaria Getúlio Vargas, em Araucária, já completou a mudança nos equipamentos para produzir o novo combustível e dar conta da grande demanda, que foi atribuída ao aquecimento do mercado econômico brasileiro.

FALTA

Começou a faltar óleo diesel em alguns postos de combustíveis da região metropolitana de Curitiba nesta quinta-feira (8). De acordo com o Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis do Paraná (Sindicombustíveis-PR), a falta é de um combustível específico, o diesel S500, conhecido como diesel metropolitano e usado na frota de ônibus de Curitiba e região metropolitana. Segundo o sindicato, algumas bombas já estão sem nada.

 

Se o problema persistir, a Urbs informou que não risco de desabastecimento porque outro tipo de diesel será utilizado para abastecer os veículos – no caso o S50 (que é menos poluente, porém, mais caro).

 

Com relação aos demais combustíveis, não há registro de desabastecimento em Curitiba nesta manhã. A falta de combustíveis é mais grave em São Paulo em razão da greve dos caminhoneiros.

 

Hoje pela manhã, o Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis (Sindicom) anunciou que o fornecimento de gasolina, álcool e diesel na capital paulista deverá ser normalizado dentro de três a cinco dias.

 

Segundo o presidente da entidade, Alísio Vaz, a distribuição está ocorrendo sem problemas desde a madrugada de hoje (8). “O abastecimento ocorre normalmente desde a madrugada, os caminhões estão saindo sem a necessidade de escolta. O esforço agora é para restabelecer o pleno abastecimento”, disse Vaz à Agência Brasil.

 

Ontem (7), o Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens do Estado de São Paulo (Sindicam-SP) pediu a ajuda da Polícia Militar (PM) para cumprir a determinação judicial de acabar com a paralisação. Desde segunda-feira (5), os caminhões-tanque deixaram de distribuir combustível na cidade em protesto contra a proibição da prefeitura de circular na Marginal Tietê, entre outras vias, durante os horários de maior movimento.

 

(Portal Banda B)

Deixe uma resposta