Paraná Extra

Juros do cheque especial e do cartA?o de crA�dito caem em maio

A taxa de juros do cheque especial caiu em maio, de acordo com dados do Banco Central (BC) divulgados hoje (27). A taxa chegou a 311,9% ao ano, com reduA�A?o de 9,1 pontos percentuais em relaA�A?o a abril. A taxa do rotativo do cartA?o de crA�dito tambA�m caiu, ao chegar a 243% ao ano em maio, com recuo de 5,1 pontos percentuais em relaA�A?o a abril. Essa A� a taxa para quem paga pelo menos o valor mA�nimo da fatura do cartA?o em dia.

Em abril, os bancos anunciaram mudanA�as no cheque especial, mas as novas regras sA? valem a partir de julho. Segundo a FederaA�A?o Brasileira de Bancos (Febraban), os clientes que utilizarem mais de 15% do limite do cheque durante 30 dias consecutivos vA?o receber a oferta de parcelamento, com taxa de juros menor do que a do cheque especial, a ser definida pela instituiA�A?o financeira.

No caso do cartA?o, a taxa cobrada dos consumidores que nA?o pagaram ou atrasaram o pagamento mA�nimo da fatura (rotativo nA?o regular) caiu 39,1 pontos percentuais, chegando a 346,1% ao ano. Com isso, a taxa mA�dia da modalidade de crA�dito ficou em 303,6% ao ano, com reduA�A?o de 25 pontos percentuais em relaA�A?o a abril.

O rotativo A� o crA�dito tomado pelo consumidor quando paga menos que o valor integral da fatura do cartA?o. O crA�dito rotativo dura 30 dias. ApA?s esse prazo, as instituiA�A�es financeiras parcelam a dA�vida.

Em abril passado, o Conselho MonetA?rio Nacional (CMN) definiu que clientes inadimplentes no rotativo do cartA?o de crA�dito passarA?o a pagar a mesma taxa de juros dos consumidores regulares. Mas essa regra sA? vale a partir de junho deste ano.

Modalidades caras
Apesar da reduA�A?o das taxas do rotativo do cartA?o e do cheque especial, essas modalidades de crA�dito sA?o as mais caras entre as disponA�veis nos bancos. A taxa do crA�dito pessoal, por exemplo, A� mais baixa: chegou a 114,7% ao ano, em maio, com reduA�A?o de 10,2 pontos percentuais. A taxa do crA�dito consignado (com desconto em folha de pagamento) caiu para 25,4% ao ano, com recuo de 0,3 ponto percentual, em relaA�A?o a abril.

A taxa mA�dia de juros para as famA�lias caiu 2,8 pontos percentuais para 53,8% ao ano, em maio. A taxa mA�dia das empresas recuou 0,2 ponto percentual: agora A� de 20,6% ao ano.

InadimplA?ncia
A inadimplA?ncia do crA�dito, considerados atrasos acima de 90 dias, para pessoas fA�sicas, caiu 0,1 ponto percentual para 5%, em maio. No caso das pessoas jurA�dicas, tambA�m houve queda de 0,1 ponto percentual para 4,1%. Esses dados sA?o do crA�dito livre em que os bancos tA?m autonomia para aplicar dinheiro captado no mercado.

No caso do crA�dito direcionado (emprA�stimos com regras definidas pelo governo, destinados, basicamente, aos setores habitacional, rural e de infraestrutura) os juros para as pessoas fA�sicas caiu 0,1 ponto percentual para 8% ao ano. A taxa cobrada das empresas teve retraA�A?o de 0,4 ponto percentual para 9,2% ao ano. A inadimplA?ncia das pessoas fA�sicas caiu 0,1 ponto percentual para 2% e das empresas chegou a 1,8%, com aumento de 0,1 ponto percentual.

O saldo de todas as operaA�A�es de crA�dito concedido pelos bancos ficou em R$ 3,107 trilhA�es, com crescimento de 0,5%, no mA?s e no ano. Em 12 meses, a expansA?o chegou a 1,3%. Esse estoque do crA�dito correspondeu a 46,6% de tudo o que o paA�s produz a�� Produto Interno Bruto (PIB). Esse percentual se mantA�m por trA?s meses seguidos.

(AgA?ncia Brasil)

Deixe uma resposta