Paraná Extra

Juros do cheque especial e do rotativo iniciaram o ano em alta

Os clientes de instituiAi??Ai??es financeiras que caAi??ram no rotativo do cartA?o de crAi??dito ou usaram cheque especial iniciaram o ano pagando juros mais caros, de acordo com dados do Banco Central (BC), divulgados hoje (27).

A taxa de juros do cheque especial subiu 3 pontos percentuais em janeiro em relaAi??A?o a dezembro, ao chegar em 315,6% ao ano.

As regras do cheque especial mudaram no ano passado. Os clientes que utilizam mais de 15% do limite do cheque durante 30 dias consecutivos passaram a receber a oferta de um parcelamento, com taxa de juros menores que a do cheque especial definida pela instituiAi??A?o financeira.

A taxa mAi??dia do rotativo do cartA?o de crAi??dito subiu 1,5 ponto percentual em relaAi??A?o a dezembro, chegando a 286,9% ao ano, no mA?s passado.

A taxa mAi??dia Ai?? formada com base nos dados de consumidores adimplentes e inadimplentes. No caso do consumidor adimplente, que paga pelo menos o valor mAi??nimo da fatura do cartA?o em dia, a taxa chegou a 263,1% ao ano em janeiro, com reduAi??A?o de 4,9 pontos percentuais em relaAi??A?o a dezembro.

A taxa cobrada dos consumidores que nA?o pagaram ou atrasaram o pagamento mAi??nimo da fatura (rotativo nA?o regular) subiu 5,2 pontos percentuais de dezembro para janeiro ao ficar em 302,9% ao ano.

O rotativo Ai?? o crAi??dito tomado pelo consumidor quando paga menos que o valor integral da fatura do cartA?o. O crAi??dito rotativo dura 30 dias. ApA?s esse prazo, as instituiAi??Ai??es financeiras parcelam a dAi??vida.

Em abril de 2018, o Conselho MonetA?rio Nacional (CMN) definiu que clientes inadimplentes no rotativo do cartA?o de crAi??dito passem a pagar a mesma taxa de juros dos consumidores regulares. Essa regra entrou em vigor em junho. Mesmo assim, a taxa final cobrada de adimplentes e inadimplentes nA?o Ai?? igual porque os bancos podem acrescentar Ai?? cobranAi??a os juros pelo atraso e multa.

Modalidades caras
As taxas do cheque especial e do rotativo do cartA?o sA?o as mais caras entre as modalidades oferecidas pelos bancos. A do crAi??dito pessoal, por exemplo, ficou em 116,5% ao ano em janeiro, com reduAi??A?o de 3 pontos percentuais na comparaAi??A?o com o mA?s anterior. A taxa do crAi??dito consignado (com desconto em folha de pagamento) permaneceu em 24,2% ao ano.

A taxa mAi??dia de juros para as famAi??lias subiu 2,5 pontos percentuais para 51,4% ao ano. A taxa mAi??dia das empresas subiu 1,4 ponto percentual, atingindo 20,2% ao ano.

A inadimplA?ncia do crAi??dito, considerados atrasos acima de 90 dias, para pessoas nizagara does it work, nizagara does it work, nizagara does it work, nizagara does it work, nizagara does it work, nizagara does it work. fAi??sicas, permaneceu em 4,8%. No caso das pessoas jurAi??dicas, houve aumento de 0,2 ponto percentual para 2,9%. Esses dados sA?o do crAi??dito livre em que os bancos tA?m autonomia para emprestar o dinheiro captado no mercado.

No caso do crAi??dito direcionado (emprAi??stimos com regras definidas pelo governo, destinados, basicamente, aos setores habitacional, rural e de infraestrutura) os juros para buy exelon, buy exelon, buy exelon, buy exelon, buy exelon, buy exelon, buy exelon, buy exelon, buy exelon, buy exelon, buy exelon, buy exelon, buy exelon, buy exelon, buy exelon, buy exelon, buy exelon, buy exelon. as pessoas fAi??sicas subiu 0,2 ponto percentual para 8% ao ano. A taxa cobrada das empresas subiu 1,4 ponto percentual para 9,9% ao ano. A inadimplA?ncia das pessoas fAi??sicas subiu 0,2 ponto percentual para 1,7% enquanto das empresas caiu 0,1 ponto percentual para 1,9%.

(AgA?ncia Brasil)

Deixe uma resposta