Paraná Extra

Lava Jato tem nova fase no Rio: os pA?es do sistema penitenciA?rio

O esquema de corrupAi??A?o envolvendo a produAi??A?o e venda de alimentos em presAi??dios fluminenses desviou mais de R$ 23 milhAi??es dos cofres pA?blicos, segundo estimativa do MinistAi??rio PA?blico Federal (MPF). A operaAi??A?o PA?o Nosso, desencadeada hoje (13), busca cumprir 24 mandados de prisA?o, sendo 14 de detenAi??A?o preventiva e dez de prisA?o temporA?ria.

Segundo o MPF, sA?o investigadas irregularidades no projeto PA?o-Escola, da Secretaria Estadual de AdministraAi??A?o PenitenciA?ria (Seap), cujo objetivo Ai?? a ressocializaAi??A?o dos presos. A empresa Induspan foi contratada para executar o projeto, mas o contrato foi rescindido porque havia desequilAi??brio financeiro.

O estado fornecia os insumos necessA?rios para a produAi??A?o dos pA?es, enquanto os presos forneciam a mA?o de obra, com custo baixAi??ssimo para a empresa. Ao mesmo tempo, a Induspan fornecia lanches para a Seap a preAi??os acima do valor de mercado.

ApA?s a rescisA?o do contrato, o MPF diz que o empresA?rio Felipe Paiva, da Induspan, criou a organizaAi??A?o sem fins lucrativos Iniciativa Primus, por meio de laranjas. A Primus assumiu o fornecimento de lanches em presAi??dios do Rio de Janeiro, com o mesmo esquema que utilizado com a Induspan.

Ainda de acordo com o MPF, mesmo com o Tribunal de Contas do Estado ter identificado irregularidades, o entA?o secretA?rio de AdministraAi??A?o PenitenciA?ria, CAi??sar Rubens de Carvalho, autorizou prorrogaAi??Ai??es de contrato com a Iniciativa Primus.

TambAi??m investiga-se que a Iniciativa Primus tenha sido usada em aAi??Ai??es de lavagem de dinheiro. Estima-se que Felipe Paiva tenha lavado pelo menos R$ 73,5 milhAi??es. As investigaAi??Ai??es apontam ainda que o patrimA?nio de CAi??sar Rubens de Carvalho aumentou ao menos dez vezes enquanto esteve Ai?? frente da Seap.

(AgA?ncia Brasil)

Deixe uma resposta