Paraná Extra

Legado da Copa 2.014 é discutido na Assembléia

O legado da Copa foi discutido pela Comissão de Esportes da AL. (Foto: Nani Gois)

O legado da Copa foi discutido pela Comissão de Esportes da AL. (Foto: Nani Gois)

O secretário de Estado para Assuntos da Copa do Mundo, Mário Celso Cunha, apresentou à Comissão de Esportes da Assembleia Legislativa, na manhã desta segunda-feira (28), no Plenarinho, um balanço do cronograma de trabalhos de preparação da competição, uma vez que Curitiba é uma das doze sedes do evento. Além da previsão de obras de mobilidade urbana, recuperação na infraestrutura, fomento do turismo e geração de empregos, outro ponto destacado por ele é o legado que deve ser deixado pelo Mundial.

 

Segundo Cunha, a visibilidade na imprensa internacional também deverá impactar positivamente a prospecção de novos investimentos no Paraná, que estará na vitrine. “O objetivo de fazer um relato das ações relativas à Copa do Mundo na Assembleia é importante. A Copa não é apenas futebol, mas uma oportunidade de negócios. Portanto, o campeonato vai deixar um legado para a cidade e para o estado, porque teremos aqui vários jornalistas e um grande número de turistas, que vão trazer muitos benefícios para o Paraná”, disse o secretário.

 

O balanço apresentado, conforme afirmou o representante de governo, sinaliza o cumprimento entre 11% a 19% do cronograma de obras no estádio Joaquim Américo, a Arena da Baixada. Mas o secretário ainda faz uma ressalva em relação a mais da metade da engenharia já constituída no estádio. “Existem algumas informações desencontradas sobre este ponto de atraso nas obras. Já temos a estrutura e o gramado da Arena prontas, muito diferente de outros locais, quando as obras iniciaram do zero. Se considerarmos isso, portanto, a Arena já estava com 50% concluída. Com estes percentuais, a obra já chegou a quase 70%”, explicou.

 

Para o proponente da reunião, deputado Ney Leprevost (PSD), presidente da Comissão de Esportes, mostrar à população os benefícios da Copa é fundamental, principalmente pela projeção de turistas que desembarcarão para acompanhar os quatros jogos a serem realizados na capital, cuja expectativa é de 760 mil pessoas, entre brasileiros e estrangeiros. “A Copa é um fato. E por isso, muitos jornalistas de outros países poderão fazer matérias além dos jogos, falando desta indústria que mais cresce, que é o turismo. Temos muitos pontos turísticos no estado que vão despertar. Além disso, o legado de obras da Copa que será deixado para a população é extremamente positivo”.

 

O secretário municipal da Copa do Mundo, Luiz de Carvalho, também esteve presente no encontro, que contou ainda com a participação de representantes do Instituto Municipal de Turismo e do Departamento de Turismo da Universidade Federal do Paraná (UFPR), que trataram dos benefícios da competição para o segmento, além de membros do Consulado do Senegal, que relataram a experiência da Copa do Mundo na África do Sul em 2010.

Deixe uma resposta