Paraná Extra

Mais um dia de protestos contra o pacote de Greca na CA?mara

Mais um dia de protestos de servidores em greve defronte A� CA?mara Municipal de Curitiba. A� tarde deve serA�votado em plenA?rio o pacote fiscal enviado pelo prefeito Rafael Greca, que continua em viagem de recreio pelo exterior (Argentina e MA�xico). Segundo o presidenteA�Serginho do Posto (PSDB), muitos vereadores e A�funcionA?rios foram impedidos pelos manifestantes de entrar no prA�dio. A sessA?o foi aberta, mas como quatro vereadores foram impedidos de entrar, Serginho do Posto, suspendeu a sessA?o. Houve inclusive a derrubada de grandes com a tentativa de invasA?o do prA�dio.

Sobre o limite de servidores nas galerias da casa, SA�rgio do Posto, disse que a A?nica preocupaA�A?o da casa A� com a seguranA�a de todos. “Tantos que colocamos caixas de som para quem ficar lA? fora acompanhar a votaA�A?o e tudo serA? transmitido online, falou ele.

PacotaA�o

Os quatro projetos que vA?o a votaA�A?o no plenA?rio hoje estA?o sob regime de urgA?ncia aprovado na semana passada e envolvem algumas das medidas mais polA?micas do pacote. Entre eles estA? o que prevA? o adiamento de marA�o para outubro da data-base do reajuste anual salarial do funcionalismo e o congelamento das promoA�A�es de carreira dos servidores. Outra proposta prevA? o aumento de 11% para 14% das contribuiA�A�es dos servidores para a previdA?ncia municipal e a devoluA�A?o para a prefeitura de R$ 600 milhA�es repassados ao Instituto de PrevidA?ncia Municipal de Curitiba (IPMC). JA? o projeto que cria a Lei de Responsabilidade Fiscal municipal estabelece que a variaA�A?o dos gastos com pessoal nA?o poderA?o superar 70% do crescimento da receita corrente lA�quida (RCL) registrada no ano anterior. Na prA?tica, isso significa que se nA?o houver aumento de arrecadaA�A?o, os servidores tambA�m nA?o terA?o aumentos salariais. Outra proposta permite o leilA?o de dA�vidas da prefeitura.

O prefeito encaminhou o pacote A� CA?mara em marA�o, alegando que as medidas sA?o a A?nica forma de recuperar a situaA�A?o financeira do municA�pio, abalada pela crise econA?mica que atinge o PaA�s, e por um dA�ficit de R$ 2,1 bilhA�es no OrA�amento de 2017. Os sindicatos que representam os servidores criticam a suposta falta de diA?logo na discussA?o das medidas e alegam que o ajuste fiscal estaria sendo feito com a retirada de direitos dos servidores.

Deixe uma resposta