Paraná Extra

Marido de advogada que caiu do prédio deve ser indiciado

O Ministério Público do Paraná deve apresentar nesta segunda-feira (6) denúncia contra Luís Felipe Manvailer, suspeito pela morte da esposa, a advogada Tatiane Spitzner, de 29 anos, na madrugada do dia 22 de julho, após ela cair do quarto andar do prédio onde moravam, no Centro de Guarapuava.

Neste final de semana, imagens das câmeras de segurança do edifício mostram que o professor agrediu a advogada, na chegada do prédio, na garagem e no elevador. Além disso, logo após a morte, Manvailer levou o corpo de Tatiane para dentro do apartamento, trocou de roupa e fugiu em seguida. Ele foi preso no mesmo dia, após bater o carro da vítima enquanto fugia para o Paraguai.

O professor já foi indiciado pela Polícia Civil por homicídio qualificado, motivo torpe, uso de meio cruel que impossibilitou a defesa da vítima e condição do sexo feminino (feminicídio), além do furto do carro da vítima.

A família de Tatiane criou páginas nas redes sociais como forma de incentivar mulheres a denunciarem casos de violência. Os perfis no Facebook e no Instagram têm o nome de Todos Por Tatiane Spitzner e o slogan é “Violência deixa marcas, não vê-las deixa feminicídio”.

Com as hashtags #JustiçaparaTatiane e #JustiçaparaTodas, no Instagram os familiares divulgam relatos de outras vítimas, além de promover alertas sobre como se caracteriza um relacionamento abusivo, e como fazer a denúncia caso a mulher perceba que está sendo mais uma vítima.

O advogado da família de Tatiane, Gustavo Scandelari, afirma que todas as provas e laudos até agora, contradizem o que foi dito por Manvailer em depoimento.

Deixe uma resposta