Paraná Extra

Negado habeas corpus para acusada de matar Louise Maeda

O juiz substituto em 2.º grau Naor R. de Macedo Neto indeferiu a medida liminar pleiteada pela defensora de Márcia do Nascimento, que visa a sua soltura. Ela, bem como os outros acusados da morte da jovem Louise Sayiuri Maeda, está presa preventivamente, enquanto durar a instrução criminal, a pedido do Ministério Público.

Marcia do Nascimento, Fabiana Perpétua de Oliveira e Elvis de Souza foram denunciados pelo Ministério Público como incursos, em tese, nas sanções penais previstas no art. 121, § 2º, incisos I, IV e V (homicídio qualificado) e no art. 211 (ocultação de cadáver), isso nos termos do art. 69 (concurso material), todos do Código Penal.

O crime ocorreu em 31 de maio deste ano, por volta das 23h57, em uma ponte sobre o Rio Iguaçu, situada na Rua Pellanda, Bairro Campo do Santana, em Curitiba. Logo após a sua morte, o corpo de Louise foi arremessado do alto da ponte.

Deixe uma resposta