Paraná Extra

Nem Ratinho nem Greca vão obedecer Bolsonaro: isolamento continua

Nem o governo do Paraná, nem a Prefeitura de Curitiba vão obedecer as “recomendações” do presidente Jair Bolsonaro para acabar com o isolamento social.

Em nota, o governo do Paraná informou que seguirá com o planejamento de isolamento social. Essa foi a resposta passada por um dos assessores do governador Carlos Massa Ratinho Junior, após ser questionado sobre o pronunciamento do presidente em que este minimizou os riscos da pandemia e criticou a política de isolamento determinada pelo Ministério da Saúde. Ontem (24), o governador do Paraná anunciou uma série de medidas para ajudar as famílias e pequenas empresas do Estado a enfrentar os impactos econômicos da pandemia Covid-19.

Por sua vez, o prefeito de Curitiba, Rafael Greca, , afirmou que a cidade continuará seguindo as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e explicou, ao lado da secretária municipal de Saúde, Marcia Cecilia Huçulak, o plano de contingência para os hospitais da cidade, ressaltando que a Arena da Baixada, estádio do Athletico, não será transformada em um hospital de campanha.

Segundo a Prefeitura, Curitiba conta hoje com 5.623 leitos hospitalares na rede pública de saúde, sendo 761 leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Conforme o plano de contingência anunciado, já há possibilidade para ativação de mais leitos em parceria com outros hospitais, fazendo com que o município chegue a 1 mil leitos de UTI.

Pedimos a Deus que não seja necessário usar todos esses leitos de UTI”, afirmou Rafael Greca, descartando o uso da Arena da Baixada. “Não haverá hospital na Arena da Baixada. Nós não precisamos disso, Curitiba tem estrutura suficiente.”

Deixe uma resposta