Paraná Extra

Número de ataques a bancos no Paraná aumentou 2,5%

O número de ataques a bancos em 2018 subiu 2,5% no Paraná, em comparação ao ano anterior. No total, foram 161 ocorrências no ano passado contra 157 em 2017. Os números integram um levantamento feito pela Confederação Nacional dos Trabalhadores da Segurança Privada. O Paraná fica em quinto lugar no ranking nacional dos estados com mais registros desse tipo de crime.

Na avaliação do  presidente da Federação dos Vigilantes do Paraná, João Soares, a falta de investimento no setor de inteligência da polícia e de monitoramento da fronteira são os principais fatores que contribuíram para a elevação no número de ataques a bancos.
Dos 161 ataques a bancos, 27 foram assaltos a agências, 96 ataques a caixas eletrônicos, 4 a agências dos Correios e 13 a carros-fortes. Um dos casos mais recentes foi registrado no mês passado, em Ponta Grossa, nos Campos Gerais. Um carro forte foi alvo de uma tentativa de assalto na BR-376. Os criminosos chegaram a tentar fechar a rodovia parando um caminhão e fazendo disparos com arma de fogo, mas desistiram do assalto quando viram um carro de uma equipe do Bope, da PM.

A tentativa aconteceu pouco antes da divisa entre Ponta Grossa e Palmeira, na altura do Rio Tibagi. A pesquisa Nacional de Ataques a Banco também registrou 6 saidinhas de banco ao longo do ano passado, porém o número pode ser bem maior já que nem todas as vítimas registram Boletim de Ocorrência. João Soares chama a atenção para a ação dos bandidos, que está cada vez mais ousada e organizada.
A Pesquisa Nacional de Ataques a Banco mostrou ainda que, em todo o País, foram registrados 2404 ataques ao sistema financeiro, um aumento de 2,5% em relação a 2017.

Desse total, a maior parte, 1412 foram ataques a caixas eletrônicos, 116 a carros-fortes, 283 assaltos a banco e 97 saidinhas de banco. Os cinco primeiros estados que lideram o ranking dos ataques são: São Paulo, seguido por Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraíba e Paraná. Em todo o Brasil, 33 pessoas morreram em decorrência dos ataques a bancos.

(Bandnews)

Deixe uma resposta