Paraná Extra

OperaA�A?o da PF contra mA?fia do trA?fico inclui o ParanA?

A PolA�cia Federal deflagrou nesta segunda-feira (25) a OperaA�A?o LaA�os de FamA�lia, com a finalidade de combater os crimes de trA?fico internacional de drogas e lavagem de dinheiro, cometidos por uma forte e pujante organizaA�A?o criminosa (ORCRIM), que tinha seu foco principal de atuaA�A?o a partir da fronteira sul do Estado de Mato Grosso do Sul com o Paraguai. Aproximadamente 211 policiais federais participam da aA�A?o que ocorre simultaneamente nos estados do Mato Grosso do Sul, ParanA?, SA?o Paulo, GoiA?s e Rio Grande do Norte .A JustiA�a Federal da 3A? Vara de Campo Grande, em atendimento A� representaA�A?o da PolA�cia Federal, expediu contra a organizaA�A?o criminosa 20 mandados de prisA?o preventiva, 2 mandados de prisA?o temporA?ria, 35 mandados de busca e apreensA?o em residA?ncias e empresas, 136 mandados de sequestros de veA�culos terrestres, 7 mandados de sequestro de aeronaves (helicA?pteros), 5 mandados de sequestro de embarcaA�A�es de luxo, 25 mandados de sequestro de imA?veis. AlA�m disso, tambA�m foi decretado o sequestro geral de todos os bens de 38 investigados, em todo o territA?rio nacional, inclusive em nome de suas empresas de fachada.

A ORCRIM tinha traA�os de um clA?, de forma assemelhada A� mA?fia, eis que seus principais cabeA�as eram de um mesmo grupo familiar e tinha estreita ligaA�A?o com a facA�A?o criminosa paulista PCC.

Grandes carregamentos de droga eram remetidos da regiA?o fronteiriA�a para vA?rias regiA�es do Brasil, geralmente escondidos em caminhA�es e carretas com cargas aparentemente lA�citas, tudo a serviA�o da criminalidade. Em contrapartida, a ORCRIM recebia joias, veA�culos de luxo e dinheiro por meio de depA?sitos em contas bancA?rias de laranjas e de empresas de fachada, como pagamento das cargas criminosas, que garantiam vida luxuosa e nababesca aos patrA�es do trA?fico internacional de drogas, que incutiam o temor e o silA?ncio na regiA?o pela sua violA?ncia e poderio. TambA�m eram utilizados helicA?pteros para transportar joias e dinheiro usados como pagamento do bando, vindos de vA?rios pontos do Brasil.

Durante a investigaA�A?o, a PF jA? tinha conseguido apreender mais de R$ 317 mil em dinheiro; joias avaliadas em mais R$ 81 mil, duas pistolas, 27 toneladas de maconha, duas caminhonetes e 11 veA�culos de transporte de carga, alA�m de prender em flagrante delito seis membros da ORCRIM investigada.

As penas somadas dos crimes cometidos atingem aproximadamente 35 anos de prisA?o.

Deixe uma resposta