Paraná Extra

Operação da PF em quatro estados alcança Umuarama

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (17) a operação Homônimo, com o objetivo de desarticular duas organizações criminosas, com ramificações em quatro estados da federação, especializada em contrabando de cigarros do Paraguai. Algumas pessoas detidas hoje já haviam sido investigadas na operação Mandrin, deflagrada em 2007, em virtude da prática do mesmo tipo de crime. Cerca de 200 policiais federais, além de  servidores da Receita Federal e da Polícia Militar do Estado de São Paulo, cumprem 35 mandados de prisão preventiva, 2 mandados de prisão temporária,  45 mandados de busca e apreensão e 32 mandados de seqüestro e bloqueio de bens. As ordens estão sendo cumpridas em Sorocaba/SP, Jundiaí/SP, Piracicaba/SP, Várzea Paulista/SP, Cesário Lange/SP, São Paulo/SP, Linhares/ES, Umuarama/PR, Naviraí/MS e Iguatemi/MS.

No decorrer do trabalho, foram elaborados 17 autos de prisão em flagrante com o apoio da Polícia Rodoviária Estadual, com a prisão de 25 indivíduos, apreensão de 25 veículos e mais de 4 mil caixas de cigarro – mais de 4 milhões maços de cigarro.

Em tributos sonegados, unicamente em razão das atividades delituosas objeto das prisões em flagrante citadas, estima-se um prejuízo aproximado de R$ 14 milhões aos cofres públicos.

Um policial militar foi preso preventivamente e encaminhado ao presídio Romão Gomes na capital. A Polícia Militar, que vinha acompanhando os trabalhos, participou da detenção do policial.

O nome da Operação (Homônimo) decorre do fato de que, coincidentemente, os chefes das duas organizações criminosas investigadas são conhecidos pelo mesmo nome, embora não sejam seus nomes reais.

Deixe uma resposta