Paraná Extra

OperaAi??A?o da PF prende doleiros antigos do caso Banestado

A PolAi??cia Federal deflagrou (15) a OperaAi??A?o Efeito DominA?, um desdobramento da OperaAi??A?o Spectrum, iniciada em julho de 2017, que desarticulou uma estrutura estabelecida para o trA?fico internacional de drogas.

Cerca de 90 policiais cumprem 26 ordens judiciais, sendo 18 de busca e apreensA?o, cinco de prisA?o preventiva e trA?s de prisA?o temporA?ria nos estados do Rio de Janeiro, Pernambuco, CearA?, ParaAi??ba, Mato Grosso do Sul e SA?o Paulo, alAi??m do Distrito Federal.

Durante as investigaAi??Ai??es da OperaAi??A?o Spectrum, a PF desarticulou uma estrutura criminal criada visando o trA?fico internacional de drogas. Esse esquema era comandado por Luiz Carlos da Rocha, mais conhecido como CabeAi??a Branco. Ele era tido como um dos maiores traficantes da AmAi??rica do Sul, tendo conexAi??es em dezenas de outros paAi??ses.

Doleiros
Por meio de nota, a PF informou hoje que as investigaAi??Ai??es demonstram ai???robustos indAi??cios acerca do modus operandi [modo de operaAi??A?o] da organizaAi??A?o criminosa, consistente na convergA?ncia de interesses das atividades ilAi??citas dos ai???clientes dos doleirosai??? investigados, pois de um lado havia a necessidade de disponibilidade de grande volume de reais em espAi??cie para o pagamento de propinas e de outro, traficantes internacionais como Luiz Carlos da Rocha possuAi??am disponibilidade de recursos em moeda nacional e necessitavam de dA?lares para efetuar as transaAi??Ai??es internacionais com fornecedores de cocaAi??naai???.

Dois doleiros tinham atuaAi??A?o ai???concreta e diretaai??? com o grupo criminoso. Ambos eram conhecidos desde a OperaAi??A?o Farol da Colina (caso Banestado) e na Lava Jato. De acordo com os investigadores, eles foram alvos de investigaAi??Ai??es pela mesma prA?tica criminosa.

ai???Quanto ao operador financeiro (doleiro) jA? investigado da OperaAi??A?o Lava Jato, chama atenAi??A?o o fato de ter retornando Ai??s suas atividades ilegais mesmo tendo firmado acordo de colaboraAi??A?o premiada com a Procuradoria Geral da RepA?blica e posteriormente homologado pelo Supremo Tribunal Federal. A Procuradoria Geral da RepA?blica e o Supremo Tribunal Federal serA?o comunicados sobre a prisA?o do rAi??u colaborador para avaliaAi??A?o quanto Ai?? ai???quebraai??? do acordo firmadoai???, diz a nota da PF.

Com a operaAi??A?o de hoje, a PF pretende reunir informaAi??Ai??es complementares da prA?tica dos crimes de lavagem de dinheiro, contra o Sistema Financeiro Nacional, organizaAi??A?o criminosa e associaAi??A?o para o trA?fico internacional de entorpecentes.

Deixe uma resposta